Notícia

drama

A viver pesadelo profissional e a braços com a justiça, Teresa Guilherme procura ajuda no psicólogo

A apresentadora da TVI parece não estar a suportar a pressão profissional e os problemas com a justiça, por isso decidiu pedir ajuda profissional.
09 de fevereiro de 2018 às 19:25
Os dramas de Teresa Guilherme continuam a assombrar a vida da apresentadora de 62 anos. Depois dos maus resultados dos seus programas na TVI, a estrela dos 'reality shows' está a braços com a justiça por causa de um ex-funcionário. Sem aguentar a pressão, Teresa deicidiu procurar a ajuda de um psicólogo.

A informação é da última revista 'Sexta' do Correio da Manhã, que cita uma fonte próxima de Teresa. 

"A Teresa sempre fez questão de fazer terapias ao longo da sua vida, mas nos últimos tempos tem reforçado esse apoio. Apesar de aparecer forte e querer mostrar que nada a derruba, ela não se tem sentido bem", refere a fonte, que não quis ser identificada.

"Além disso, é uma mulher de trabalho e, de repente, vê-se com menos atividade", acrescenta. 

Depois dos maus resultados de 'Biggest Deal', Teresa Guilherme viu a TVI retirar a confiança que tinha em si e passar ao amigo Manuel Luís Goucha para apresentar a 7ª edição de a 'Casa dos Segredos'

Agora o seu antigo funcionário Pedro Alves, que além de motorista também trabalhava como estafeta, colocou um processo contra a apresentadora, afirmando mesmo escravidão.

"O que reclamo e peço, neste momento, são todos os subsídios que nunca me pagou, férias que não gozei e os danos morais que tudo isto me causou", disse o queixoso quarta-feira numa audiência no Tribunal do Barreiro, Setúbal.

Alves reclama também por ter sido "despedido sem prévio aviso", após 11 anos a trabalhar para Teresa Guilherme.

A carregar o vídeo ...
;
O queixoso, que pede 44 mil euros, acusou Teresa de chamado "todos os seus empregados [de] uns filhos da puta". 

No fim da audiência, a apresentadora desvalorizou o processo dizendo: "Não estou a ser julgada. Num tribunal de trabalho resolvem-se litígios entre empregados e empregadores. Só isso". 

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável