pub

Notícia

Polémica

ASAE persegue os restaurantes de 'Pesadelo na Cozinha'

A ASAE andava apagada, mas ressuscitou, à boleia do programa 'Pesadelo na Cozinha'. As imagens chocantes de falta de higiene e de comida podre a serem vistas na televisão por milhões de pessoas forçaram a força de inspeção a ir aos locais do "crime".
Por João Bénard Garcia | 07 de junho de 2017 às 19:26
ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha Agostinho Cunha, o proprietário do 'Carolina do Aires', junto às polémicas fritadeiras, garante que já está a fazer as melhorias que a ASAE impôs. Ljubomir Stanisic mostra a sujidade que encontrou no restaurante O Canela ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha A equipa do restaurante O Canela, em Campolide, Lisboa Uma barata no restaurante O Canela Ljubomir com Justa Nobre. O 'chef' que agora conduz 'Pesadelo na Cozinha' também tem um lado mais brincalhão e divertido Stanisic conversa com cozinheira Lina, do restaurante O Canela Por 39 mil euros, Ljubomir aceitou rapar os tachos em Pesadelo na Cozinha. Agora terão de lhe pagar muito mais... O chef Ljubomir Stanisic numa imagem irreverente, que já fez parte da decoração do seu restaurante, o Bistrô 100 Maneiras Ljubomir Stanisic já conheceu o drama da falência mas hoje é um 'chef' e empresário bem sucedido. Agostinho Cunha, proprietário do Carolina do Aires, sofre com clientes que, segundo ele, se aproveitam do programa para mandar comida para trás "sem pruridos". Arlindo Caetano, dono da tasca O Trevo, é vizinho do Bistro 100 Maneiras, mas agradece que Ljubomir nem lhe passe à frente da casa. O último participante de 'Pesadelo na Cozinha' admite que, se soubesse o que sabe agora, jamais teria participado no programa da TVI. O dono do Trevo, na cozinha da casa de pasto, que tem a montra cheia de salgados e uma frigideira com bifanas sempre prontas a sair. Com os gritos, palavrões e a descoberta de muita sujidade e comida em mau estado, Ljubomir assusta potenciais novos candidatos a 'Pesadelo na Cozinha'. ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha Ljubomir assume que o seu frigorífico está desarrumado: "Não está preparado para filmagens". Ljubomir Stanisic enojado com o que viu e o odor do restaurante, localizado no Seixal. O local continua sujo apesar de o mau cheiro já não se sentir na rua. ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha Este é o restaurante do Seixal de que todos se queixam. Os vizinhos relatam infestações gigantescas de baratas e cheiro a podre só de passar lá à porta. O odor desapareceu; a sujidade continua à vista. David Coelho não vai aguentar a pressão e quase morre com uma crise de diabetes. ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha O anfitrião do programa dos serões dominicais da TVI a dar o exemplo, na cozinha do restaurante Hot Spot, que tentou ajudar, num dos episódios de 'Pesadelo na Cozinha'. ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha O chef jugoslavo sentiu-se indisposto num dos restaurantes que já tentou ajudar. O restaurante-lixeira agora até brilha. De "Perigo de Morte" a "O Algodão Não Engana", dizem. A proprietária, Patrícia, durante as gravações do programa Apesar da gritaria e dos desmaios, Ljubo arregaça as mangas e acaba por controlar a cozinha do restaurante. ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha
ASAE persegue os restaurantes de Pesadelo na Cozinha

Os inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) fazem parte dos 1,6 milhões de portugueses que, em média, viram e vibraram na televisão com as tropelias do chef Ljubomir Stanisic, no programa 'Pesadelo na Cozinha', da TVI. Talvez por isso, na passada quinta-feira, dia 1 de junho, Agostinho Cunha, de 51 anos de idade, sócio-gerente do restaurante Carolina do Aires, na Costa da Caparica, em Almada, foi visitado por dois inspetores da famosa força fiscalizadora da higiene e segurança alimentar.

"A ASAE veio cá e os dois inspetores foram muito corretos connosco. Mandaram trocar as lâmpadas, colocar os bebedouros, arranjar e pintar o chão, deitar fora o grelhador e trocar as grelhas das frigideiras", conta Agostinho Cunha, que em declarações à revista 'TV Guia' se manifestou bastante revoltado com o filme promocional do programa da TVI, mas que agora diz estar "satisfeito com o resultado final do programa". E tudo porque a produção "teve o cuidado de, no programa, não mostrar certas imagens que no filme promocional estavam fora de contexto e dramatizavam coisas que nunca aconteceram aqui", remata.

Confirmando à FLASH! a teoria que defendeu nas declarações feitas à 'TV Guia' de que "o programa foi uma fantochada", o proprietário, desde há cinco anos, do 'Carolina do Aires', reforça a ideia de que muitas das imagens que vemos na televisão serão fabricadas: "A produção queria, depois da remodelação, que eu entrasse aqui e dissesse que o restaurante estava fantástico e que dissesse 'uau'. Sim, disseram-me para eu me mostrar surpreendido e dizer 'uau', mas eu não podia fazer isso porque até tive dificuldade em perceber o que me tinham mudado no restaurante", revela Agostinho Cunha.

Ljubomir stanisic

O proprietário sublinha, de novo, a sua desilusão em relação à participação no programa de grande sucesso da TVI cuja primeira série terminou no passado domingo, dia 4. "Isto foi uma fantochada. Se soubesse que eles não iam cumprir a parte deles no contrato verbal que acordaram comigo nem me tinha metido nisto", defendeu, revelando ainda a imagem com que ficou de Ljubomir Stanisic: "Já trabalhei com grandes 'chefs' e percebi que ele não é dos melhores".

DONO DE 'O CANELA' ENTALADO POR EXCESSO DE SINCERIDADE

E ao quinto episódio do programa que reconciliou os telespetadores com a televisão, e deu audiências inesperadas e dificilmente alcançáveis para a TVI, tudo mudou. Foi ao ver imagens de baratas a correr, baratas mortas em teias de aranha, ou baratas a boiar na famosa marinada do senhor Manuel Canela, 58 anos de idade, o dono do restaurante de Campolide, em Lisboa – que se tornou famoso pelas piores razões –, que os portugueses perceberam que este programa lhes era muito útil e que tinham que começar a ser mais críticos e criteriosos na escolha do local onde comer e a estarem mais atentos ao que lhes aparecia no prato.

Pesadelo na cozinha, o canela, manuel canela

No caso de O Canela, a ASAE reagiu apenas três dias depois de o programa ter sido transmitido pela TVI, e só após de ler e confirmar o que constava no relatório da empresa que faz as inspecções sanitárias para a produtora de 'Pesadelo na Cozinha'.

As notícias de que o espaço tinha baratas e o facto de o dono assumir abertamente a várias publicações que os insetos coabitavam livremente com géneros alimentícios, confecionado ou por confecionar, foram a gota de água para os inspetores da ASAE fecharem as portas a esta casa de pasto lisboeta. A FLASH! confirma que o espaço continua fechado, completamente demolido por dentro, com as obras quase paradas e sem data prevista para a reabertura.

O chef Ljubomir Stanisic durante o programa gravado no restaurante de Campolide Stanisic conversa com cozinheira Lina, do restaurante O Canela A equipa do restaurante O Canela, em Campolide, Lisboa Uma barata no restaurante O Canela Ljubomir Stanisic mostra a sujidade que encontrou no restaurante O Canela O chef Ljubomir Stanisic encontrou comida estragada nos frigoríficos, de um restaurante, em Águeda. Duas pessoas foram contratadas para limpar toda a gordura e sujidade. A proprietária, Patrícia, durante as gravações do programa Se achava que o restaurante Rio Minho tinha sido a maior lixeira de Pesadelo na Cozinha, prepare-se para ver o Suprema, em Águeda. ... e como eles são levados atualmente à mesa Restaurante Tapas, na Moita Ementa do restaurante Tapas, na Moita, intervencionado por Lujbomir Stanisic A equipa do restaurante Tapas Não foi fácil a relação de Sandra com Ljubomir, no Tapas, na Moita
Os restaurantes que Ljubomir tentou salvar

Recorde-se que, nessa segunda semana do mês de abril em que O Canela foi encerrado compulsivamente, a ASAE realizou 56 operações de fiscalização na capital, levantou um processo crime e instaurou 32 processos de contra ordenação. Oito espaços foram suspensos temporariamente, entre os quais se incluia O Canela.

O 'Pesadelo na Cozinha' chegou ao fim e ainda não está prevista uma 2.ª temporada do programa de maior sucesso da televisão portuguesa. As negociações decorrem, e aponta-se que só para 2018 o chef Ljubomir possa voltar às gravações.

Mais notícias de Nacional

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
Peñascoso 08.06.2017

Este marmanjo deveria ser contratado pela ASAE ou será que a ASAE anda a dormir!

Antonio Carlos 08.06.2017

Gostava de perguntar ao sr. Agostinho Cunha do restaurante Carolina do Aires se foi a Produção da TVI que mandou lá colocar a comida podre e as gorduras acumuladas na cozinha!

Enganador, a envenenar os consumidores...

Anónimo 08.06.2017

Bem haja ao programa!! Para que foi criada a ASAE? De repente acordaram e depois do programa já há gente para fazer inspecções, fechar restaurantes e mostrar trabalho. O Sr Canela devia ser preso, a ver se ganhava vergonha na cara! a cobrar aos clientes por comerem naquele nojo. Sem respeito nenhum!

Maria Santos 08.06.2017

Estes programas sobre restaurantes são um must. Ter pena de gente que dá a comer coisas estragadas é que é de lamentar. Bravo para TVI e Chefe. Um aviso ao consumidor pagante.


Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável