Notícia

Exclusivo

Melânia Gomes lida com a instabilidade financeira: "Tive de me manter equilibrada"

Aos 18 anos veio para Lisboa atrás do sonho de ser atriz. Não se assusta com a instabilidade financeira porque não a pode "controlar". Vive com o ator Mário Redondo há 8 anos e não quer casar-se porque dá muita "trabalheira".
Por Carolina Pinto Ferreira | 18 de novembro de 2017 às 12:56
Melânia Gomes está de regresso às origens. Natural de Viana do Castelo, tem agora a sorte de poder estar em casa e trabalhar na mesma cidade, dado que muitas das gravações de 'A Herdeira' são naquela região minhota. "As minhas tias e a minha família são o meu pilar, o meu centro", avança.

Aos 33 anos de idade, a atriz é muito ligada à família e apesar de viver em Lisboa desde os 18 vai com frequência ao Minho. É lá que se sente melhor, junto dos seus. "
A minha família é um exemplo de vida, pelos ideais e pela força. Sobretudo a minha tia Silvina, em que me inspirei para fazer uma personagem, é mesmo um poço de inspiração". 

REPRESENTAR ATÉ AOS 100 ANOS

Uma das tias, Irene, tem 100 anos. Um orgulho e uma inspiração para a sobrinha famosa. "Caramba, chegar aos 100 anos e poder fazer a vida sozinha, ter mobilidade, continuar a cozinhar… É um bom indício. Tenho uma boa genética. Com 100 anos ainda quero estar em cena".



Ser atriz sempre foi a vocação da Tina de 'A Herdeira'. Melânia até se lembra da primeira vez que sentiu esse apelo, como revela em entrevista à TV Guia. "Foi no infantário. Tinha um teatro e tinha que fazer de sol. Lembro-me dos meus colegas estarem muito ansiosos, a arrancarem os fatos e a dizerem que não queriam fazer aquilo. E eu estava revoltada porque aquilo tinha sido um gasto de dinheiro e tínhamos ensaiado tanto… Sentir a vibração das palmas no meu corpo marcou-me". 

A ADAPTAÇÃO A UMA CIDADE ESTRANHA

Quando chegou a Lisboa teve de adaptar-se. A vida na capital é muito diferente da que tinha em Viana onde viveu uma "infância feliz e muito livre". Entrava no autocarro e dizia 'bom dia', apercebendo-se que nunca tinha resposta. . "As pessoas aqui não têm a qualidade de vida que têm em Viana, até pela logística. Achava que aqui as pessoas não eram tão simpáticas mas trata-se da vida ser dura e das pessoas estarem cansadas e esgotadas. Foi só encaixar isso e continuar a dizer "bom dia" quando entrava no autocarro mesmo que ninguém me respondesse".

NÃO GOSTAVA DO NAMORADO

Sete anos depois de ter chegado cruzou-se com o colega Mário Redondo. Mas foi tudo menos amor à primeira vista. "Existe a atração à primeira vista, o amor não sei. Constrói-se. Conheci-o num ambiente profissional. Por preconceito meu, não gostava dele. Vinha do mundo da ópera, de um mundo mais intelectual e eu estava a fazer revista", recorda.

O amor cresceu e a relação é sólida. Ainda assim, Melânia não pensa casar-se. "É uma trabalheira e estamos juntos há tanto tempo… Nem todas somos princesas. Nunca tive esse sonho. Só tinha o sonho de ser actriz, era muito básica". 

MOMENTOS DIFÍCEIS

A morte do avô foi outra altura marcante da vida da atriz, que também não pensa ser mãe, pelo menos por agora. A vida de atriz, lá está, é instável. "Encaro esta profissão de uma forma muito livre. Estou pronta para todos os desafios. Vejo-me a trabalhar em qualquer lado".

Nunca se deslumbrar é para Melânia o segredo. "Tive de me manter equilibrada. Não ficar eufórica quando estou a trabalhar nem ficar triste e ansioso quando não há trabalho. É uma profissão em que nunca se sabe o dia de amanhã e quando se escolhe este caminho tem que se aceitar isso e ter essa presença de espírito".

Leia a entrevista completa na revista TV Guia desta semana, já nas bancas!


Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável