pub

Notícia

Drama

Nuno Norte, vencedor de 'Ídolos', assume que o vício das drogas o levou a viver nas ruas

Cantor destacou-se ao vencer a primeira edição de 'Ídolos'. Antes, Nuno Norte assume que foi viciado em heroína e que viveu nas ruas, onde arranjava dinheiro para o vício a cantar e tocar guitarra. O amigo de José Carlos Pereira admite que hoje só fuma "charros".
Por Isabel Laranjo | 15 de julho de 2017 às 17:54
Nuno Norte com José Carlos Pereira, de quem é amigo. Os dois formaram a 'Banda Sal', em 2011, e lançaram um single. 'Raio de Sol', além de terem feito várias atuações ao vivo. Nuno Norte participou no Festival da Canção, em 2009. Em 2011, numa gala que reuniu antigos vencedores do programa 'Ídolos'. Com João Gil, com quem formou a 'Filarmónica Gil', outro projeto musical que não vingou. Ao lado de Rute Marques, no programa da TVI 'Canta por Mim'.
Nuno Norte livrou-se da heroína mas assume que fuma cannabis
Foi do programa de caça-talentos da SIC que saíram muitas caras conhecidas. A última que saltou para a ribalta foi Salvador Sobral que, apesar de não ter vencido no programa 'Ídolos' conquistou o prémio Eurovisão da Canção, para Portugal, com o tema 'Amar pelos Dois'.

Nuno Norte participou na primeira edição do concurso, ao lado de Luísa Sobral, irmã de Salvador. Nuno, que assume no programa 'Alta Definição' de sábado, 15 de julho, o seu passado de droga e vida na rua foi o vencedor. A cantora de jazz ficou em terceiro lugar.

E foi mesmo a participação no programa 'Ídolos' que o salvou. Nuno Norte andava desnorteado. Após uma passagem por Espanha, onde a mãe tinha um bar e tentou ajudá-lo, o músico voltou aos consumos. E foi a mãe que puxou novamente por ele, ao inscrevê-lo no talent show da SIC, em 2003. 

...
Nuno Norte

Deixou as drogas e foi internado. "Numa sexta-feira fui escolhido para os 30 finalistas, numa segunda fui internado no hospital", revela, a Daniel Oliveira.

A RASTEJAR COM DORES

Dias difíceis. "Durante muito tempo vi os meus castings, do 'Ídolos', no refeitório do hospital", conta ainda. Livrar-se do vício da heroína foi um autêntico pesadelo. "Chorava. Doía-me o corpo todo. Não conseguia comer, rejeitava tudo. Lembro-me de andar pelos corredores, a rastejar pelo chão, cheio de dores".

Antes tinha vivido nas ruas. "É difícil. No inverno, estendido no chão gelado, com a chuva a cair".

Com o correr do tempo e após a vitória no programa, tornou-se noutro homem. Começou a viver da música, concorreu ao Festival da Canção, teve um projeto musical com João Gil - Filarmónica Gil - e fez um dueto com José Carlos Pereira, para o disco 'Azul'.

OS NOVOS VÍCIOS

Hoje, aos 40 anos de idade, casado e pai de família, confessa: "Sou viciado em playstation, coca-cola, música, basquetebol, amor. Amar e ser amado. Em casa não tenho nenhuma garrafa de álcool, raramente saio. Fumo cannabis de vez em quando, mas isso é algo que já faço desde os 13 anos".

Mais notícias de Mundo

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável