pub

Notícia

Entrevista

Sozinha há 5 anos, Patrícia Tavares confessa: "Quando casar vai ser para sempre"

A poucos meses de completar 40 anos, a actriz confessa estar com saudades de trabalhar com mais assiduidade. Sem namorado e com uma filha de 15 anos, Patrícia Tavares procura um príncipe encantado… e sem medo, pois o homem que a perseguia deixou de o fazer.
Por Hugo Alves | 10 de junho de 2017 às 10:00
Patrícia Tavares Patrícia Tavares Patrícia Tavares Patrícia Tavares Patrícia Tavares Patrícia Tavares Patrícia Tavares
Patricia Tavares, à beira dos 40 anos, diz que procura um príncipe encantado
Prestes a completar 40 anos de idade a atriz ainda não encontrou o principe encantado. Diz estar solteira há 5 anos mas diz que não está de olhos fechados. Depois de anos conturbados, devido a um homem que a perseguia e à morte de um grande amigo, Nicolau Breyner, a atriz diz que está novamente pronta para amar...

Este ano faz…
40! Ohhh... Estou doida para ter 40! Acho estranha e híbrida esta coisa de ter 38 e 39... Venham os 40 para ser uma boazona [solta uma gargalhada]. Gosto de ver o lado bom da vida e completar mais um aniversário, completar mais um ciclo. É sinal de que estou cá.

Não tem medo da idade?
Não penso nisso. Para já, não, porque não me sinto com 40! Ainda nada me obrigou a parar física e psicologicamente. Está tudo bem.

Mas, este ano, começou a fazer exercício. Foi por causa dos 40?
Não, nada disso. Comecei até em 2016! Tenho um personal trainer, o André Carvalho, que adoro, porque é muito natural no seu treino: alimentação com exercício físico. E é um tipo muito bem- -disposto e que sabe que tenho que dizer uns disparates durante o treino. E ele aceita isso e brinca. Deixa-me fazer as coisas ao meu ritmo, embora nunca deixe de puxar por mim! E olhem: faz-me bem… 

Patrícia Tavares
O que é que mudou?
Estou mais tonificada e não pareço tão magra. Isso faz-me sentir bem. E tenho mais umas curvazinhas… [lança uma gargalhada].

E a chegar aos 40 ainda se sente sexy?

Nunca me senti… Nem nunca valorizei isso. Acho que é perigoso, porque isto [aponta para o corpo] vai tudo caindo… Mas sinto-me bem comigo. Até porque, vamos ver, tenho uma atitude descontraída, esta voz de bagaceira... Não me sinto nada sexy. E até porque gosto de viver a vida de outra maneira.

Mas não era bom para arranjar trabalhos, por exemplo?

Se calhar. Mas stou bem comigo. Gosto de me sentir a 100 por cento e de não estar preocupada com o decote, os saltos… Gosto de me poder mexer como quero e me apetece.
Está apaixonada?
Não [risos].

Então?
Quando estiver, aviso-vos! Logo. Estou apaixonada pela vida, pelo que faço, pela minha filha, pelos meus pais, pela minha sobrinha, pela minha filha..
.
Isso deve-se a alguns desaires, num passado mais recente?
Como assim?

A carregar o vídeo ...
;
Teve um casamento que não chegou ao fim da melhor forma...
Chegou, chegou! E da melhor forma. Terminámos e cada um seguiu a sua vida. Até porque a vida é isto: as pessoas encontram-se e, se tiverem a sorte de ficarem juntas para o resto da vida, é uma alegria. E eu gostava que isso me acontecesse…

Acredita no amor para sempre?
Sim, mas dá imenso trabalho e nem sempre as pessoas têm disponibilidade. Mas gostaria imenso. De facto, estou sozinha há uns anos. Há uns 5 anos.

Mas pelo caminho não houve uns namoricos?
Não, mas não estou morta [risos]!

Mas é mais difícil apaixonar-se?
Não...

Vê-se a casar novamente?

Atenção: eu, com o Pedro [Iglésias], não casei de papel passado. Foi tudo uma brincadeirinha. E quando isso acontecer, a sério, sei que vai ser para sempre. 

Aí, vai dar tudo de si?

Sempre dei, e acredito que do outro lado as pessoas também tenham feito o mesmo. Só que a vida é assim. Nem sempre dar tudo chega.

Patrícia Tavares
O que tem faltado?
Não sei. Mas tem faltado alguma coisa. Se não, não terminavam... 

Culpa-se pelos fracassos amorosos?
Não. Nem a mim nem a eles. As coisas... As pessoas aparecem na tua vida por um motivo e aprende-se sempre qualquer coisa. E tenho por isso mesmo um enorme respeito por todas as pessoas com quem já tive uma relação, porque me transformaram na pessoa que sou hoje. E só lhes posso agradecer. Não tenho raiva de ninguém, não odeio ninguém, nem sequer entendo como é que as pessoas podem ter esse sentimento por alguém. Percebo que, no início, fique uma mágoa, mas, depois, se tive uma história com aquela pessoa, se fui apaixonada por ela, que sentido faz olhar para ela com raiva e ódio? Só se pode olhar com admiração.

Leia a entrevista na íntegra na 'TV Guia', que está nas bancas.

Mais notícias de Mundo

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
Anónimo Há 2 semanas

E UMA VERDADEIRA INSPIRAÇÃO LER AS RESPOSTAS E OUVIR ESTA SENHORA....
POIS TUDO O QUE LHE SAI ATRAVÉS DE SUA BOCA VEM-LHE DE UMA POSITIVIDADE,DE UMA SIMPLICIDADE , DE UMA CRENÇA PARA UM FUTURO RISONHO QUE NOS FAZ PENSAR E VIVER O PRESENTE COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ!


Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável