Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

2017 (2)

O ano está a terminar. No número anterior realçámos alguns dos acontecimentos criminais de maior impacto na vida portuguesa. Hoje, antes que cheguem as badaladas a anunciar 2018, queria chamar a atenção para dois julgamentos e três escândalos que foram tema de intenso noticiário.
31 de dezembro de 2017 às 06:00

O julgamento de Pedro Dias, presumível autor de três homicídios consumados e mais dois na forma tentada, é o corolário para o conjunto de assassinatos, com uma fuga espectacular pelo meio, e cuja sentença está para breve.

O julgamento do processo conhecido pela Máfia de Braga chegou ao fim com um conjunto de arguidos condenados a mais de cem anos de cadeia. Este caso hediondo, onde o corpo da vítima terá sido dissolvido em ácido sulfúrico, fica para a história como o exemplo do que a ganância pode fazer a homens diferenciados. Matar por dinheiro não é apenas um mau ofício dos pobres como este processo bem ilustra.

As crianças IURD. Vinte anos depois rebentou o escândalo. Um lar desta putativa Igreja serviu de base para o tráfico de crianças. Criminalmente os casos estão prescritos, porém, é importante conhecê-los para saber quem foram os responsáveis da Segurança Social e dos Tribunais que autorizaram este comércio obsceno para servir bispos-bandidos.

Os email’s do Benfica. O mundo desportivo agita-se com a vinda a público de milhares de email’s que tiveram origem no Benfica, ou nos seus apaniguados, mais perto do poder benfiquista. As proporções gigantescas do desvio de correspondência, tem enlameado o mundo de futebol onde o comentário chegou ao nível das latrinas de campanha militar. Porém, neste momento, e para que conste, só há uma vítima: o próprio Benfica. Violação de correspondência é crime e deve ser punido como tal.

As Raríssimas. A presidente desta associação deslumbrou-se. Meteu as mãos onde não devia, em cumplicidade com a teia de influências que criou no interior do poder político. A procissão ainda vai no adro, mas já provocou bastantes danos. Ao menos que se salvem as crianças que não têm culpa naquilo que aconteceu.

Feliz 2018!

Mais notícias de Dicionário do Amor

Pai

Pai

Pai: s.m. Criatura mágica, avistada apenas por filhos amados. A magia de algo, ou de alguém, está em quem a vê — e não em quem a faz.

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.
O Gordo vive e aperta com Cristina

O Gordo vive e aperta com Cristina

Fernando Mendes tem público, tem carisma e uma genuinidade incrível. Quem se apressou neste quase último ano a fazer-lhe um funeral estava bem enganado.

O futsal já cria heróis

Final do Europeu teve audiência digna de jogo de futebol. A chegada a Portugal dos jogadores da Selecção Nacional levou uma pequena multidão às ruas, em domingo de Carnaval, provando a capacidade de mobilização da modalidade.
Eu quero que tu sejas a minha mãe

Eu quero que tu sejas a minha mãe

Vou ali e já venho, não demoro nada, umas semanas, duas ou três, vais ver que passa num instante, digo ao Ramsés enquanto lhe faço festas na cabeça. O Ramsés foi uma herança da minha irmã Isabel que se apaixonou por um surfista e trocou as Avenidas Novas pelo Havai.
Ópio

Ópio

Ópio: s.m. Aquilo que serve para salvar os desapaixonados do tédio; só quem não ama se entedia.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável