Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu amor

Notícia

2017: O melhor e o pior

Na programação e na Informação dos três canais generalistas, o ano teve, como sempre, bons e maus programas, mas também muitos momentos para esquecer.
22 de dezembro de 2017 às 07:00

O ano termina com dois bons momentos: Ana Leal, primeiro, e Alexandra Borges com Judite França, depois, assinam, na TVI, óptimas reportagens.

As séries informativas de Pedro Coelho, na SIC, as reportagens do Sexta às 9, na RTP-1 (sobretudo sobre os fogos), e a entrevista de Vítor Gonçalves a Sócrates também fazem parte do melhor do ano na informação generalista.

O pior foi o condicionamento da informação da TVI, alguns projectos da SIC, como a rubrica do ex-árbitro Duarte Gomes 'Ó Senhor Árbitro' ou o híbrido 'Nunca Visto', e a falta de inteligência da RTP na gestão do canal de informação.

Na programação, o pior do ano foram as séries da RTP, com 'A Criação' no topo da lista, e alguns programas, como o concurso de Alvim ('O Avô Fugiu de Casa'), as conversas de Bruno Nogueira e Esteves Cardoso (também eles 'Fugiram de Sua Casa') ou o 'Biggest Deal', da TVI.

Na categoria de melhores programas do ano estão as recentes novelas da TVI, 'A Herdeira' e 'Jogo Duplo',  o 'The Voice', da RTP, e, na SIC, o 'E Se Fosse Consigo', de Conceição Lino, e as 'Vidas Suspensas', de Ribeiro Cristóvão e Sofia Pinto Coelho.

Finalmente, houve momentos para esquecer: na RTP, a final da Taça em futebol feminino foi interrompida por um concerto, e o título mundial de Inês Henriques nos 50 quilómetros de marcha foi ignorado. Na SIC, a ridícula mascote dos 25 anos da estação não deixou saudades, e a taróloga Maria Helena, com os seus conselhos insensatos às mulheres traídas, saiu tarde demais.

Para esquecer é também o 'Futebol Mais', da TVI, que saiu da antena sem aviso prévio. 

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Mais fácil

Mais fácil

Íris e eu passeamos e conversamos horas sem fim, como quem flutua por cima das coisas más, cada uma com o seu par de asas invisível, e no entanto tão poderoso. São as asas que nos levam onde queremos, quando queremos, para o coração de quem mais queremos.
Ma(donna) disto tudo

Ma(donna) disto tudo

Como é possível não conseguir vislumbrar que a presença de uma figura pública como Madonna, no nosso País, é benéfica? Afinal o que é mais provinciano? Ceder privilégios a uma figura pública com este perfil, ou permitir que a “nossa” "pequenez" se arvore e a amesquinhe.
Rei

Rei

Rei: s.m.: Aquele que ama e é amado. O mesmo que apaixonado.
Porquê, Fátima?

Porquê, Fátima?

Tirando o dinheiro que possa ganhar a mais, e ganha certamente, Fátima Lopes – tal como Manuel Luís Goucha – não acrescenta nada de importante ao seu currículo com a apresentação de ‘reality shows’.
Casados ou namorados?

Casados ou namorados?

SIC e TVI em guerra de 'reality shows'. Em Carnaxide, aposta-se em 'Casados à Primeira Vista'. Queluz de Baixo contra-ataca com 'First Dates'. Inesperadamente, as novelas da vida real vão ser o campo de batalha entre as duas estações.
Chegar ao Céu

Chegar ao Céu

Traição é traição, e o que mais me irrita é que foi ele que me conquistou, andou anos atrás de mim e quando lhe dei dois filhos lindo e criei as minhas enteadas como se fossem do meu sangue, descobri que afinal não era completamente certo.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável