Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão meu amor

Notícia

A ferida da SIC Notícias

Emissão em simultâneo do Jornal da Noite, da SIC, no canal 5 é um sintoma da menorização simbólica de uma televisão que já foi marca distintiva do projecto de Francisco Pinto Balsemão.
14 de abril de 2017 às 09:00
Os canais de cabo criados pelas estações generalistas vivem uma profunda crise de identidade e estão a ser vítimas de uma desvalorização simbólica que não é boa para ninguém: nem para as próprias estações, nem para as operadoras de cabo, nem para os espectadores.

Quando uma entrevista ou um programa de debate começa no canal-mãe e continua no irmão do cabo, a mensagem que passa é a da menorização de um produto que nasceu para ser distintivo, com ADN próprio e qualidade supostamente superior. Isto acontece regularmente, quer em entrevistas na TVI (Bruno de Carvalho foi um dos exemplos mais recentes), quer em programas da RTP (como o 'Sexta às 9' que se transforma em 'Sexta às 11').

Mas a decisão mais grave de todas aconteceu quando os telejornais principais, das 20 horas, começaram a ser emitidos ao mesmo tempo na generalista e no cabo. Quem o fez em primeiro lugar foi a TVI, mas, curiosamente, assim que a SIC imitou a estação de Queluz de Baixo, o canal 4 recuou. Como se de um golpe de judo se tratasse, quando a SIC Notícias pensava estar a responder a um ataque da TVI24, acabou por ficar sozinha a arcar com esse peso.

Desta forma, a presença do 'Jornal da Noite' na antena da SIC Notícias é uma espécie de cicatriz permanente no canal que foi criado com o objectivo de liderar a informação, e que assim se vê reduzido a uma espécie de satélite da irmã mais velha, a qual, ainda por cima, sai prejudicada nas audiências com esta partilha. Não há maior sintoma da destruição simbólica de valor de um canal que já foi marca distintiva do projecto de Balsemão.

Mais notícias de Piquete de Polícia

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.
O Gordo vive e aperta com Cristina

O Gordo vive e aperta com Cristina

Fernando Mendes tem público, tem carisma e uma genuinidade incrível. Quem se apressou neste quase último ano a fazer-lhe um funeral estava bem enganado.

O futsal já cria heróis

Final do Europeu teve audiência digna de jogo de futebol. A chegada a Portugal dos jogadores da Selecção Nacional levou uma pequena multidão às ruas, em domingo de Carnaval, provando a capacidade de mobilização da modalidade.
Eu quero que tu sejas a minha mãe

Eu quero que tu sejas a minha mãe

Vou ali e já venho, não demoro nada, umas semanas, duas ou três, vais ver que passa num instante, digo ao Ramsés enquanto lhe faço festas na cabeça. O Ramsés foi uma herança da minha irmã Isabel que se apaixonou por um surfista e trocou as Avenidas Novas pelo Havai.
Ópio

Ópio

Ópio: s.m. Aquilo que serve para salvar os desapaixonados do tédio; só quem não ama se entedia.

Temporal

Quem passou por esta semana com tanta investigação, tanta discussão sobre julgamentos, justiça, poderosos e tantos donos disto tudo, fica com a ideia de uma País a saque.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável