pub
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão meu amor

Notícia

A ferida da SIC Notícias

Emissão em simultâneo do Jornal da Noite, da SIC, no canal 5 é um sintoma da menorização simbólica de uma televisão que já foi marca distintiva do projecto de Francisco Pinto Balsemão.
14 de abril de 2017 às 09:00
Os canais de cabo criados pelas estações generalistas vivem uma profunda crise de identidade e estão a ser vítimas de uma desvalorização simbólica que não é boa para ninguém: nem para as próprias estações, nem para as operadoras de cabo, nem para os espectadores.

Quando uma entrevista ou um programa de debate começa no canal-mãe e continua no irmão do cabo, a mensagem que passa é a da menorização de um produto que nasceu para ser distintivo, com ADN próprio e qualidade supostamente superior. Isto acontece regularmente, quer em entrevistas na TVI (Bruno de Carvalho foi um dos exemplos mais recentes), quer em programas da RTP (como o 'Sexta às 9' que se transforma em 'Sexta às 11').

Mas a decisão mais grave de todas aconteceu quando os telejornais principais, das 20 horas, começaram a ser emitidos ao mesmo tempo na generalista e no cabo. Quem o fez em primeiro lugar foi a TVI, mas, curiosamente, assim que a SIC imitou a estação de Queluz de Baixo, o canal 4 recuou. Como se de um golpe de judo se tratasse, quando a SIC Notícias pensava estar a responder a um ataque da TVI24, acabou por ficar sozinha a arcar com esse peso.

Desta forma, a presença do 'Jornal da Noite' na antena da SIC Notícias é uma espécie de cicatriz permanente no canal que foi criado com o objectivo de liderar a informação, e que assim se vê reduzido a uma espécie de satélite da irmã mais velha, a qual, ainda por cima, sai prejudicada nas audiências com esta partilha. Não há maior sintoma da destruição simbólica de valor de um canal que já foi marca distintiva do projecto de Balsemão.

Mais notícias de O Tal Canal

Eu tinha vergonha

A SIC promove uma nova novela, convida os jornalistas para o evento e só aparecem cinco actores do elenco. Cheira a falta de compromisso com a estação. Mas na RTP as coisas também não estão melhores: veja-se o caso dos Mundiais de Atletismo.

Ouro mundial sem RTP

Os feitos de Inês Henriques, a melhor do mundo nos 50 quilómetros marcha, e do campeão olímpico Nélson Évora, no triplo salto, não mereceram transmissão na televisão do Estado. Passaram no Eurosport.
O passo certo

O passo certo

Nos meus sonhos a minha casa é sempre igual. Silenciosa, romântica e serena, como o meu coração quando me apaixono. Já lá vão alguns anos desde que tal fatalidade me aconteceu.
Olha a bolinha!

Olha a bolinha!

A televisão, é por estes dias, a última escolha da grande maioria dos portugueses. O cheiro a maresia e a fragrância das estevas tomam conta dos sentidos e conduzem milhares de pessoas à praia.
Medo

Medo

Medo: s.m. Sinónimo de existência, sinónimo de ti. Nasces para sentir medo (é por isso que choras desde o momento em que nasces: temes desde logo o que não dominas) – mas também nasces para o derrotar. Cobarde é só aquele que nunca temeu nada.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável