Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

A SIC para lá do limite

Há crianças mal comportadas, famílias desestruturadas e uma psicóloga clínica, que se propõe resolver tudo, em frente às câmaras. O resultado é emocionalmente mais violento do que um 'reality show', com 'Supernanny' debaixo de fogo.
19 de janeiro de 2018 às 09:26

Confesso, logo a abrir, por escrúpulo profissional: vi o 'Supernanny' nas gravações, por obrigação que advém da responsabilidade de falar semanalmente com os leitores da 'TV Guia'. Não consegui chegar ao fim do programa. A meio, o meu incómodo era tanto, que desliguei.

Mesmo assim, parece-me pertinente partilhar algumas reflexões. Antes de mais: trata-se de um modelo internacional adquirido pela SIC em 2006, ou seja, há 12 anos. O director de Programas da altura, Francisco Penim, decidiu adiar indefinidamente a produção, e o programa nunca viu a luz do dia. Doze anos depois, foi retomado, e aí está no ar.

Trata-se de colocar Teresa Paula Marques, psicóloga clínica com 25 anos de experiência, a resolver problemas de comportamento de crianças. Na primeira parte, mostra-se a família em acção, para fazer o retrato do problema. Há, depois, o diagnóstico, feito em diálogo entre a 'Supernanny' e os adultos da família. Finalmente, a resolução dos problemas.

No primeiro episódio, a Margarida, de 7 anos, não cumpria as regras básicas, e Teresa Marques interveio. É tudo filmado, inclusive os castigos, a troca de insultos entre criança, família e psicóloga clínica, o choro e a resistência. Em resumo: o dia normal de qualquer processo de educação em família, exposto na TV por vontade, e com autorização, dos adultos.

A violência emocional vai para lá dos reality shows. Não é um formato que altere o perfil da SIC: é susceptível de o destruir. Se ainda houver algum bom senso na empresa, quando os leitores estiverem a ler esta crónica, o formato já terá sido descontinuado. 

Mais notícias de O tal canal

Finalmente o fim

Finalmente o fim

Se João Baião tem aparentemente solução na SIC, como actor, o mesmo não se poderá dizer de Rita Ferro Rodrigues. Mais um problema em Carnaxide… a juntar a tantos outros, como o de Bárbara Guimarães e Andreia Rodrigues  .
Bronca no Festival

Bronca no Festival

A meia-final de domingo foi um espectáculo televisivo competente, com um cantor que promete reeditar o fenómeno Salvador, mas fica marcada pelo engano na contagem dos votos, que alterou a lista de finalistas.
Pai

Pai

Pai: s.m. Criatura mágica, avistada apenas por filhos amados. A magia de algo, ou de alguém, está em quem a vê — e não em quem a faz.

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.
O Gordo vive e aperta com Cristina

O Gordo vive e aperta com Cristina

Fernando Mendes tem público, tem carisma e uma genuinidade incrível. Quem se apressou neste quase último ano a fazer-lhe um funeral estava bem enganado.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável