Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

Crimes e clubes

Os mails, os vouchers, a compra de árbitros, as cartilhas, a linguagem de rufia de alguns dos intervenientes, a fadistice vadia que cruza esta miserável barafunda só tem um objectivo: mobilizar argumentos para justificar as derrotas.
04 de fevereiro de 2018 às 08:00

As notícias de supostos escândalos em torno do futebol começam a ser tão exagerados, tão empolados pelos séquitos de comentadores ao serviço dos vários clubes, com argumentações que nada têm a ver com a causa criminal mas com a natureza do carácter de cada protagonista, tornou-se num ruído tão insuportável que, era capaz de jurar, tudo vai acabar no fundo de um armário com arquivamento de queixas. Os emails, os vouchers, a compra de árbitros, as cartilhas, a linguagem de rufia de alguns dos intervenientes, a fadistice vadia que cruza esta miserável barafunda só terá um objectivo: mobilizar argumentos para justificar derrotas desportivas.

O que daqui sai é obsceno. E a obscenidade não é produtora de Justiça. O que daqui sai, desta gritaria própria de batalhas medievais, é o descrédito do próprio futebol. O que daqui sai é a crescente falta de interesse no jogo jogado, naquele onde vale a pena ver estrelas a brilhar, para se perderem as energias com planetas sem importância no sistema desportivo.

Já com pouca paciência para ler ou escutar notícias sobre as colossais vigarices realizadas por estes, por aqueles, pelos outros, julgo que é capaz de ter chegado o momento das próprias instituições judiciais se afastarem deste lupanar onde fervilha a mentira, a intriga, o ciúme, o despeito e onde os factos que surgem como eventuais crimes não são sustentados em prova e os poucos que parecem tê-la não passam de bagatelas penais.

Não encontro javardice igual nos jornais e televisões de outros países europeus, onde as figuras centrais são, de um modo geral, atletas, jogadores e as suas qualidades, que decidem campeonatos e taças pela qualidade desportiva. Aqui, parece que tudo se joga no terreno de quem é que enviou mais mails ou de quem insultou mais e melhor o adversário. Enoja!

O futebol é coisa bem diferente, jogo bonito!, do qual nos vamos esquecendo, enquanto se chafurda neste pântano malcheiroso.

Mais notícias de Piquete de Polícia

Ruben Semedo

Foi preso. Suspeito de sequestro e roubo. Não é a primeira vez que tem problemas com a polícia por outros tipo de transgressões e é com tristeza que vemos uma jovem estrela estar a construir um cadastro em vez de criar um cv.
Finalmente o fim

Finalmente o fim

Se João Baião tem aparentemente solução na SIC, como actor, o mesmo não se poderá dizer de Rita Ferro Rodrigues. Mais um problema em Carnaxide… a juntar a tantos outros, como o de Bárbara Guimarães e Andreia Rodrigues  .
Bronca no Festival

Bronca no Festival

A meia-final de domingo foi um espectáculo televisivo competente, com um cantor que promete reeditar o fenómeno Salvador, mas fica marcada pelo engano na contagem dos votos, que alterou a lista de finalistas.
Pai

Pai

Pai: s.m. Criatura mágica, avistada apenas por filhos amados. A magia de algo, ou de alguém, está em quem a vê — e não em quem a faz.

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável