pub
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues televisão meu amor

Notícia

Daniel e Andreia: fica tudo em família

Quando o apresentador entrevista a apresentadora, que é também a sua noiva e passou a ser a sua mulher poucas horas depois da emissão, isso é... a falência de um formato que já foi um sucesso
30 de junho de 2017 às 09:20
O apresentador do 'Alta Definição' decidiu convidar Andreia Rodrigues, também ela apresentadora da SIC. O programa foi para o ar no dia em que ambos se casaram. A conversa teve momentos bizarros, em que cada um dos intervenientes falou do outro na terceira pessoa, apesar de estarem sentados frente a frente.

Andreia partilhou histórias íntimas, como as causas da relação difícil que tem com o pai, e Daniel reagiu como se as estivesse a ouvir pela primeira vez.

O momento mais constrangedor, mesmo assim, aconteceu quando Andreia Rodrigues, em pleno programa do marido, disse que "seria tão injusto ter alguma coisa porque tenho uma relação, como não ter alguma coisa porque a tenho" (referia-se à relação com o apresentador, naturalmente).

Acompanho com atenção a carreira de Daniel Oliveira há anos, desde que foi coordenador dos jornais de desporto, na fundação da SIC Notícias, e depois, na passagem para o entretenimento, quer na RTP, quer na SIC. Tem um talento que, muitas vezes, fica em bruto, mas cuja qualidade o amadurecimento decantará.

Conheço menos bem o trabalho de Andreia Rodrigues, mas a dignidade com que encaixou a forma como foi tratada pela SIC, no afastamento das tardes,  mostra que sabe o que quer. Tudo somado, o talento dos dois não merecia a emissão em família de sábado passado. Isso só reforçou os argumentos de todos os que não gostam do casal, e atribuem o sucesso de ambos a algo mais que o mero trabalho. Para os próprios, foi mau. Para o programa, foi péssimo. Fica à vista a falência de um formato.

O Alta Definição morreu.

Mais notícias de Dicionário do amor

Ofender

Ofender

Ofender: v. Aquilo que só fazes a quem te ama; quando alguém que não amas te ofende não te ofende coisa nenhuma — e é sequer pensar que o faz que é ofensivo.

Violência juvenil

É certo que a culpa é de quem matou e a eles devem ser imputada a responsabilidade criminal sobre o sucedido. Em matéria criminal, essas duas dimensões da nossa existência social é individual.
SIC e TVi24: tiros nos pés

SIC e TVi24: tiros nos pés

A SIC acaba com ‘Juntos à Tarde’, de João Baião e Rita Ferro Rodrigues, em menos de um ano. E a TVI24 quase parece a BTV… Um desastre total.
Os pesadelos da TV

Os pesadelos da TV

As séries da RTP, os reality shows da TVI e os formatos da SIC ao domingo são os principais flops do ano, na área do entretenimento e ficção. Segunda parte do balanço de 2017 na televisão portuguesa.
Não podemos deixar que os rios sequem

Não podemos deixar que os rios sequem

Tudo muda depois de um furacão. Às vezes para sempre. Como naquela ilha, uma das mais belas do mundo, onde sonhei levar-te um dia, Caye Caulker, no Belize, esse paraíso entre o México e a Guatemala.
Canais em banho-maria

Canais em banho-maria

Por razões diferentes, este foi um ano perdido, tanto para a TVI, como para a SIC. Não houve dinheiro nem ideias, e o ano acaba como começou: programação pobre e grelhas sem rasgos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável