Margarida Rebelo Pinto
Margarida Rebelo Pinto Pessoas como Nós

Notícia

Fios e chocolates

O pior é o tempo que nos rouba tudo. Há meia hora os nossos filhos andavam de bibe e agora andam na universidade. Há três dias o meu pai dançava comigo na sala e agora está numa cadeira de rodas. Há cinco minutos estavas aqui e afinal passou um ano. O tempo anda sempre a pregar-nos partidas, é o Deus mais inteligente e manipulador do Universo.
09 de fevereiro de 2018 às 11:31
...
Fios e chocolates

Quando parti, deixei um poema para trás.

Foi tudo o que quis que ficasse. Comigo trouxe todas as memórias e o coração inteiro. Sim, é verdade que uma parte de mim ficou no congelador, mas ambos sabemos que há muito que é assim. Não foi a esperança, nem o medo. Foi o desejo. Vive agora dentro de um tupperware, quem sabe dobrado em oito ou em mais voltas, criogenizado como um herói de ficção científica, mas como muito menos charme cinematográfico, porque convive mano a mano com bifes de frango e crepes com chocolate.

É o chocolate que nos distrai do desejo. Tabletes imensas, cada um no canto da sua vida vai comendo quadradinhos em noites de insónia. Às vezes oiço-te a partir uma barra inteira, mas talvez seja a minha imaginação. No aeroporto comprei chocolates em todas as escalas. Não sei porquê, mas os chocolates comprados no aeroporto sabem sempre mais a chocolate.

Nos aeroportos tudo tem um sabor diferente, o sabor da passagem. Também devia ser assim na vida porque passa cada vez mais depressa, e no entanto, vivemos como se fossemos tocados pela eternidade, quase nunca pensamos na morte, a não ser quando ela nos acena em forma de ceifeira e agita a sua foice terrifica, ou quando bate numa porta ao lado da nossa.

É uma sorte quase nunca pensarmos na morte. Assim é como olhar para o céu e ver sempre azul. O pior é o tempo que nos rouba tudo. Há meia hora os nossos filhos andavam de bibe e agora andam na universidade. Há três dias o meu pai dançava comigo na sala e agora está numa cadeira de rodas. Há cinco minutos estavas aqui e afinal passou um ano. O tempo anda sempre a pregar-nos partidas, é o Deus mais inteligente e manipulador do Universo. Renato Russo diz que o infinito é um dos deuses mais lindos. Eu associo o infinito com a eternidade, noções irmãs para o espaço e o tempo, por isso escrevo tanto. Cada poema, cada livro, cada carta, são formas de tocar e eternidade. Músicos e pintores fazem o mesmo. E também tiranos maléficos, mas por motivos horríveis, com consequências inesquecíveis para o mundo. Olha o Hitler, o Mugabe e o Papa Doc. Por exemplo.

Mas estou a perder o fio. Nunca se pode perder o fio. Vivemos todos num labirinto, por isso o fio é tão importante. A minha Ariadne sou eu e a minha paz, as minhas viagens, o meu amor por ti. Gostava de pensar que a tua Ariadne sou eu, mas ninguém pode salvar ninguém, não é?

O poema, esse não tem data. Nunca escrevo a data no fim, de que nos serve a poesia se não for intemporal? Há qualquer coisa de eterno num poema. Como é eterno o carinho que guardo por ti e por todos aqueles que vivem no meu coração.

Quando voltar, leva-me a almoçar a um lugar qualquer onde eu possa ver o mar. Assim vou olhar menos para tiverem triplicado a graduação.

Às vezes ainda imagino que vamos estar os dois a comer chocolates no mesmo canto do mesmo mundo. Ainda assim, na dúvida, traz-me uma tablete para a sobremesa, sempre matamos o tempo antes que ele nos mate.

 

Mais notícias de Dicionário do amor

Querer

Querer

Querer: v. O que realmente comanda a vida. Quem mudou o mundo não foram os sonhadores; foram os queredores: os que quiseram tanto que acabaram por fazer mesmo o que tanto quiseram.
Esperando os incêndios

Esperando os incêndios

Começa a cheirar a verão e, com ele, os incêndios estão à porta. Entramos nesta época carregando os traumas e o horror das tragédias do ano passado.
Fátima é grande!

Fátima é grande!

As palavras da filha são claras: durante 15 anos, a apresentadora fez de mãe e de pai em casa. Quantas vezes a estrela da TVI não terá tido vontade de fugir? Pois, mas esteve sempre com os espectadores.
Somos sempre os mesmos 300

Somos sempre os mesmos 300

O Tinder, essa aplicação que aproxima ainda mais quem já esta na área. Há quem diga que já se casou, que fez amizades para a vida, tanto oiço histórias da carochinha como de engates manhosos. Nunca vou saber como funciona, mas parece que anda meio mundo por ali, a navegar no pastel de nata virtual, à procura de sexo gratuito porque não imagino que marquem encontros para ir ao Arco ver arte contemporânea.
E depois do Adeus?

E depois do Adeus?

Canal 1 voltou ao patamar anterior assim que acabou a festa. A RTP tratou com competência, mas sem brilho, um dos maiores desafios da sua História: realizar o Eurofestival em Portugal.
Conto de fadas

Conto de fadas

A três dias da boda real são ainda muitas as dúvidas sobre alguns detalhes, pormenores que fazem aumentar a expectativa de milhões de espetadores. Irá Harry utilizar aliança? A pergunta não é desfasada se considerarmos que o irmão William não optou por esse símbolo em 2011.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável