Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Goucha contra Daniel

O apresentador da TVI dá 15-0 ao rival da SIC e está nas mãos da estação de Queluz de Baixo querer ganhar esta guerra.
28 de outubro de 2017 às 07:31

1. Chama-se Câmara Exclusiva, passa na TVI aos sábados, a seguir ao Jornal da Uma, e mostra, acima de tudo, os bastidores dos programas e das novelas da estação de Queluz de Baixo. Com Marta Andrino a fazer o seu caminho – embora precise de arriscar mais, aos 30 anos –, gosto de Mónica Jardim, que brilha em qualquer palco, não gosto de Pimpinha Jardim, que cheira a forçado em tudo o que faz. O magazine social cresceu e, por isso, deixou, e bem, a TVI Ficção. Visto por meio milhão de espectadores, hoje, não supera, porém, o rival da SIC, Alta Definição, mesmo quando este formato continua a ser igual há nove anos. Sem adversário à altura, Daniel Oliveira pode – imagine, caro leitor – dar-se ao luxo de entrevistar a mulher na véspera do casamento e fazer as mesmas perguntas aos seus convidados, semana após semana, até à exaustão – e não estou a falar da célebre "o que dizem os seus olhos?" –, que a vitória é certa.

O que fazer, então? Para a TVI vencer finalmente neste horário, um dos poucos onde a estação, que é líder de audiências há 12 anos, perde para a concorrência, bastava dar um programa de entrevistas a Manuel Luís Goucha. Homem culto, educado, simpático e empático, excelente conversador, é capaz de extrair dos seus convidados o melhor que têm para dar. Aquilo que vimos em Mulheres da Minha Vida e De Homem para Homem, na TVI24, em 2010, são apenas duas amostras do que o apresentador (de sucesso) pode fazer. O Câmara Exclusiva? Mantinha-o na grelha, sim, só arrancava era uma hora mais tarde, às 15:00, precisamente a mesma de E-Especial, na SIC. 

2. A Informação da TVI dá a sensação, algumas vezes, de andar à deriva. O último exemplo diz respeito à tomada de posse dos novos secretários de Estado no sábado, dia 21, com a estação a avançar que o primeiro-ministro, António Costa, não estava na cerimónia. Como é possível, caro Sérgio Figueiredo? A revolução que se avizinha nos próximos meses em Queluz de Baixo, com a venda à Altice, que pode fazer cair muita gente importante e fazer regressar outra gente importante, é a razão principal para tantos erros (graves) cometidos?

* O autor desta crónica escreve de acordo com a antiga ortografia.

 

Mais notícias de O tal canal

Obviamente, demitam-no

Se Nuno Artur Silva está agarrado à cadeira do poder, alguém que mande a sério na RTP ponha este administrador na rua. Estamos fartos de negócios pouco transparentes.

A SIC para lá do limite

Há crianças mal comportadas, famílias desestruturadas e uma psicóloga clínica, que se propõe resolver tudo, em frente às câmaras. O resultado é emocionalmente mais violento do que um 'reality show', com 'Supernanny' debaixo de fogo.
O Grito

O Grito

É sabido que o Romantismo foi um movimento cultural que só contribuiu para atrasar o mundo. Todo o herói romântico sofre muito, seja de solidão, de desamor ou de doença. E sofre porque se entrega à sua desgraça de quem, podendo escolher entre vários destinos, se atira de cabeça para o pior de todos, como quem se atira para uma piscina vazia quando se apaixona pela pessoa errada.
Omissão

Omissão

Omissão: s.f. Acto de fugir ao que nos causa problemas; o mesmo que cobardia.

Crianças da IURD

Esta enorme árvore onde se mistura crendice e crime, tende a tapar a floresta. E a floresta esconde os técnicos de acção social, magistrados, juízes que, há cerca de vinte anos, permitiram que tudo isto acontecesse.
O fim de Júlia Pinheiro

O fim de Júlia Pinheiro

Perde sempre como apresentadora e está perdida como directora. "O Goucha vai dar-nos uma sova tremenda", diz, com um "grande sorriso". Assim vai a SIC: de mal a pior.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável