pub
Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Humilhação

Não Há Crise, a nova aposta da SIC para os domingos à noite, prendeu mais 300 mil espectadores em relação à final de Just Duet. Confirma-se: João Manzarra é um erro de casting.
22 de julho de 2017 às 08:00

1. A SIC parece não ter emenda. Depois de um novo fracasso de um programa de entretenimento, Just Duet, cuja final foi vista por pouco mais de 600 mil espectadores, um resultado miserável, os seus responsáveis – e são tantos em Carnaxide, desde Gabriela Pinheiro a Júlia Pinheiro, passando por Daniel Oliveira – preparam-se para estrear na rentrée, isto é, em Setembro, Vale Tudo, outro formato que nunca conseguiu conquistar o coração dos portugueses.

Apetece perguntar: como é possível? Outra vez João Manzarra a puxar por Inês Castel-Branco, César Mourão e companhia naquele cenário inclinado e ridículo, aos domingos à noite?

É por estas e por outras que a TVI se dá ao luxo de juntar umas quantas celebridades de segunda linha, em MasterChef, e mesmo assim ganhar à estação rival, com uma média de um milhão de portugueses, o que é manifestamente pouco, se nos recordarmos, por exemplo, de que Ljubomir Stanisic, em Pesadelo na Cozinha, fazia mais de milhão e meio.

Regressado de férias, dou comigo a espreitar Não Há Crise, a nova aposta da SIC para os domingos à noite. Este enlatado de apanhados básicos do século XXI prendeu mais 300 mil espectadores em relação à final de Just Duet, uma semana depois, e se não é uma humilhação para o estado-maior da estação de Carnaxide, deve andar lá muito perto.

Esta é a actual (e triste) realidade de uma televisão que sonha em chegar à liderança, mas que – e por muito que isto possa doer a Francisco Pinto Balsemão – só faz sucesso no País com histórias do faz-de-conta, ou seja, com as novelas de Gabriela Sobral.

2. A Altice comprou finalmente a Media Capital, onde está a TVI, por 440 milhões de euros.

Quantos profissionais vão ficar em Queluz de Baixo, começando desde logo pelos que mandam? Quantos vão sair? Quantos vão entrar? E que estação, líder de audiências há 12 anos (passam a ser 13 em Dezembro), vamos ter a partir de 2018?

Pois, sinceramente, não sei. Sei que nada voltará a ser como dantes... na televisão portuguesa. 

* O autor desta crónica escreve de acordo com a antiga ortografia.

 

Mais notícias de Pessoas Como Nós

Ó gente da minha terra

Ó gente da minha terra

Eu sei que o meu mundo é feito de palavras com as quais construo histórias, romances, crónicas e ficções e que as palavras não têm a capacidade de resolver tudo. Sempre disse que um médico faz muito mais falta do que um escritor, e agora acrescento e um bombeiro também faz, mas já aprendi que cada um de nós pode fazer a diferença se não ficar calado.
Sócrates irritou-se

Sócrates irritou-se

Vítor Gonçalves preparou-se com cuidado, quer no conteúdo, quer na pose e na expressão. O principal arguido da Operação Marquês já não estava habituado a responder a um jornalista, e isso fez toda a diferença.
Aprendiz de

Aprendiz de "feiticeiro"

O relógio marcava as 03h10, quando a CMTV colocou um ponto final na emissão especial dedicada ao inferno que voltou a deixar marcas profundas e as palavras de António Costa apenas serviram para aumentar ainda mais o meu sentimento de luto.
Número

Número

Número: s.m. Aquilo que, para os cabrões, significa tudo — o que é mais uma prova de que não valem nada. Nada do que vale a pena na vida é contável.

Barcelona

O processo independentista catalão tem sofrido de ausência de razão quer da parte do governo catalão, desrespeitando leis gerais que estruturam a soberania do Estado espanhol, quer do governo central que respondeu a pontapé e à bastonada às provocações que os nacionalistas realizaram.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável