Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

Mundial e Eurovisão

A RTP pode ter um 2018 de sonho, com a transmissão de dois mega-eventos. Talvez a administração do canal do Estado consiga fazer o que anda a tentar há muito: exterminar o 'Preço Certo'.
29 de dezembro de 2017 às 12:26

O ano de 2018 será um ano de decisões. A venda da TVI terá de se resolver, para um lado, ou para o outro. Entretanto, a estação de Queluz de Baixo vai continuar a ganhar, mas com muitas áreas cinzentas de decisão, à espera de saber se haverá novos patrões.

Já a SIC voltará a viver um ano turbulento. A anunciada mudança de instalações vai juntar-se às dificuldades financeiras do grupo proprietário, dificuldades essas que se vão manter depois de as revistas serem entregues ao novo dono. O mais provável é a SIC continuar abaixo da TVI, com uma estrutura debilitada, com poucas ideias e sem capacidade de investimento.

Diferente será o ano da RTP, cheio de optimismo e festa. O Festival da Eurovisão será um dos grandes acontecimentos do ano. Logo a seguir, o Mundial de futebol vai mobilizar o país, e a RTP beneficiará dos direitos exclusivos. Em suma: a RTP, sendo a televisão com menos resultados e com maior dificuldade de posicionamento relativamente àquilo que representa para o país, é quem vive uma fase mais afirmativa.

E, claro, com todos estes eventos, nenhum poder político teria coragem para proporcionar uma mudança da administração, pelo que a equipa que tem dirigido a televisão do Estado tem o lugar garantido. Nessa altura, talvez a administração de Artur Silva tenha coragem para fazer o que anda a tentar há muito tempo: acabar com o fenómeno do 'Preço Certo'.

Em 2018, com os mesmos problemas de sempre, com grelhas de continuidade em relação ao passado, e com as estrelas habituais, os espectadores continuarão a fugir das generalistas, rumo ao cabo.

Mais notícias de O Tal Canal

O exemplo de Cláudia Vieira

O exemplo de Cláudia Vieira

A carta de uma fã sobre a humildade da actriz da SIC devia inspirar outros colegas… que fazem um frete para tirar uma ‘selfie’ com aqueles que os ajudam a ser alguém. No Algarve, houve mesmo um que disse: “Se tiver mesmo de ser…” Que vergonha!
Mais fácil

Mais fácil

Íris e eu passeamos e conversamos horas sem fim, como quem flutua por cima das coisas más, cada uma com o seu par de asas invisível, e no entanto tão poderoso. São as asas que nos levam onde queremos, quando queremos, para o coração de quem mais queremos.
Ma(donna) disto tudo

Ma(donna) disto tudo

Como é possível não conseguir vislumbrar que a presença de uma figura pública como Madonna, no nosso País, é benéfica? Afinal o que é mais provinciano? Ceder privilégios a uma figura pública com este perfil, ou permitir que a “nossa” "pequenez" se arvore e a amesquinhe.
Rei

Rei

Rei: s.m.: Aquele que ama e é amado. O mesmo que apaixonado.
Porquê, Fátima?

Porquê, Fátima?

Tirando o dinheiro que possa ganhar a mais, e ganha certamente, Fátima Lopes – tal como Manuel Luís Goucha – não acrescenta nada de importante ao seu currículo com a apresentação de ‘reality shows’.
Casados ou namorados?

Casados ou namorados?

SIC e TVI em guerra de 'reality shows'. Em Carnaxide, aposta-se em 'Casados à Primeira Vista'. Queluz de Baixo contra-ataca com 'First Dates'. Inesperadamente, as novelas da vida real vão ser o campo de batalha entre as duas estações.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável