Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

O fim dos reality shows

Biggest Deal bate recordes negativos de audiências. O programa não convence, e Teresa Guilherme mostra que não está confortável com o formato. Isso é mortal.
13 de outubro de 2017 às 16:35

Biggest Deal rompe o elo fundamental de confiança entre os espectadores e os reality shows. O novo programa de Teresa Guilherme afasta-se demasiado da ilusão de realidade na qual se baseia o sucesso do género. Tudo começou com o Big Brother, apresentado, à época, como o espectáculo da vida real.

A ideia básica era colocar uma série de pessoas anónimas a viverem a sua vida do dia-a-dia, recriada num espaço fechado, e transformar tudo isso num programa de televisão. O segredo era simples: quanto mais próximo da vida do dia-a-dia, melhor. Só que, como todos nós sabemos, a vida quotidiana é feita de ócio e aborrecimento. Foi preciso introduzir provas e situações inesperadas, que gerassem tensão e atrito entre os concorrentes, para manter a atenção dos espectadores. Nesse momento deu-se o primeiro passo para afastar os reality da realidade, num equilíbrio instável. Até que chegou Biggest Deal.

A irrealidade de juntar uma série de "famosos", como se costuma dizer, no mesmo espaço, para tratarem dos seus negócios, é tão acentuada que não cria o mínimo laço emocional com os espectadores. Ou seja: os reality shows deram um passo rumo ao abismo da irrealidade absoluta, e isso será a sua morte.

Na primeira semana, a desculpa foi as eleições e o futebol. Na segunda, foi a Selecção e o resto. Mas os resultados são demasiado maus, num produto que costumava arrastar tudo atrás de si, sem precisar de desculpas. Pior: Teresa Guilherme mostra que não está confortável. E quando um apresentador não adere, é impossível chegar ao sucesso em televisão. Big problem!               

Mais notícias de Televisão Meu amor

Resgate em directo

Resgate em directo

O drama das 12 crianças e do seu treinador, retirados do labirinto de uma gruta pelos esforços dos mergulhadores, foi um evento global que emocionou o mundo através da televisão.
Bolas de Berlim

Bolas de Berlim

Era uma senhora típica do Estado Novo: para fora vivia para o marido, a casa e os filhos, por dentro implodia de tédio, sem a capacidade de entender porque sentia tanta neura. Na época usava-se o termo neurasténica, uma espécie de genérico para as maleitas do espírito e do coração femininos.
Redoma

Redoma

Redoma: s.f.: Único espaço do mundo que, apesar de exíguo, é infinito. Somos do tamanho do que conseguimos suportar, e mais ainda do tamanho do que conseguimos superar.
A RTP ganhou o mundial

A RTP ganhou o mundial

O mês forte da competição na Rússia trouxe grandes subidas para o canal 1, e dificuldades crescentes para a SIC, que ajudou a televisão do Estado a pagar o torneio, mas pouco ou nada beneficiou com ele
És tu e tu e tu

És tu e tu e tu

Quando alguém desiste de nós, não vale a pena correr atrás, fazer piruetas, acenar com um isco, não vale a pena fazer nada a não ser aceitar e esperar. Aceitar sem culpa, esperar sem expectativas. E depois, é deixar a vida correr, ficar atento aos sinais, descansar o corpo e o coração, respeitar o luto e o pousio, até a vida dar a volta à vida.
Redenção

Redenção

Redenção: s.f.: Acto de transformar em heroísmo aquilo que foi erro. Só quem ama se redime; os outros já não têm salvação possível.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável