pub
Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Notícia

O Negativo

Está neste caso o chamado Processo da compra de sangue, baptizado com o sugestivo nome de O Negativo. Negociatas feitas com compra de sangue que, esta semana, levaram mais um punhado de médicos a ser interpelados pela Justiça.
11 de junho de 2017 às 07:00

Existem crimes, que pela sua natureza malévola, que deveriam estar catalogados, tal como no Direito brasileiro, como hediondos. Não tanto pela consequência jurídica, sobretudo pelo que encerram de imoralidade e malvadez contra a vida humana.

Está neste caso o chamado Processo da compra de sangue, baptizado com o sugestivo nome de O Negativo. Negociatas feitas com compra de sangue que, esta semana, levaram mais um punhado de médicos a ser interpelados pela Justiça.

O sangue é fonte de vida. Pelo País existem centenas de organizações de dadores voluntários, gente de generosidade sem limites, que entrega um pedaço de si para salvar os seus semelhantes. Gente de todos os estratos sociais, de todas as cores, sem distinção de credos, que estende o braço e se oferece, desta forma, para salvar vidas.

A resposta do Estado a este voluntarismo generoso é escolher bandidos, ainda que engravatados e pomposos, para comprar através de concursos públicos manipulados, de negociatas escuras, o sangue que falta nos hospitais. A generosidade dos povos contra o banditismo do Estado. Nada existe de mais cruel, de desumano, de imoral para mostrar que este Estado e os seus vários governos, não merece os cidadãos que governa.

É verdade que a Saúde merece toda atenção, que os investimentos devem ser privilegiados pois que é o sector que cura, trata e cuida de doentes. Porém, não é possível que escorram milhões e milhões de euros por este sector da vida pública com critérios mínimos de fiscalização e controle. Quer no que respeita ao sangue, quer no que respeita à grande industria farmacêutica, quer no que respeita à gestão hospitalar. É um regabofe humilhante para quem paga impostos e espera seriedade do Estado. Há meses que a PJ persegue esta ‘máfia do sangue’ e, ao que parece, com resultados. Deve começar a perseguir as outras ‘máfias’ que na Saúde roubam milhões à custa de vidas e de sofrimento alheio. É tem de começar a dizer Basta!

Mais notícias de Dicionário do Amor

Mito

Mito

Mito: s.m. Aquilo que os palermas dizem que não existe; o mesmo que realidade dos apaixonados. Há quem diga que o amor é um mito e há quem diga que o ódio também – parece fácil perceber em qual preferes acreditar, não? Somos o mito em que escolhemos acreditar.

Tanto Luto, Tanta Mágoa

Nunca se viu coisa assim. Tanto luto e tanta mágoa num só verão, como se mil demónios se tivessem apossado de parte do nosso país.

Eu tinha vergonha

A SIC promove uma nova novela, convida os jornalistas para o evento e só aparecem cinco actores do elenco. Cheira a falta de compromisso com a estação. Mas na RTP as coisas também não estão melhores: veja-se o caso dos Mundiais de Atletismo.

Ouro mundial sem RTP

Os feitos de Inês Henriques, a melhor do mundo nos 50 quilómetros marcha, e do campeão olímpico Nélson Évora, no triplo salto, não mereceram transmissão na televisão do Estado. Passaram no Eurosport.
O passo certo

O passo certo

Nos meus sonhos a minha casa é sempre igual. Silenciosa, romântica e serena, como o meu coração quando me apaixono. Já lá vão alguns anos desde que tal fatalidade me aconteceu.
Olha a bolinha!

Olha a bolinha!

A televisão, é por estes dias, a última escolha da grande maioria dos portugueses. O cheiro a maresia e a fragrância das estevas tomam conta dos sentidos e conduzem milhares de pessoas à praia.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável