Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

O sucessor de Marcelo

Como comentador, Marques Mendes cultiva um estilo diferente do actual Presidente: mais cerebral e menos efusivo, dificilmente o veremos a oferecer um leitão ao pivô do Jornal da Noite.
07 de agosto de 2017 às 16:52

Em televisão, só há dois critérios de sucesso: ou se tem audiência, ou se tem prestígio. Não ter nem audiência nem prestígio é sinal de desastre. Bem diferente era a situação do comentador Marcelo: funcionava como uma locomotiva de audiências para a TVI, e usufruía de um elevado grau de prestígio, o qual, aliás, lhe valeu a eleição para Belém.

Terminada a carreira de Marcelo como comentador, Marques Mendes tenta reconstituir o percurso televisivo do Presidente da República (veremos, no futuro, se também ambiciona o mesmo cargo). Depois de um início no cabo, Marques Mendes passou para a SIC generalista, e ocupa o final do Jornal da Noite ao domingo, o mesmo dia da semana em que o País se habituou a ouvir o "professor Marcelo". As linhas de contacto entre os dois são mais do que simbólicas: os críticos de Marques Mendes têm-no acusado de ser uma espécie de "porta-voz" do Presidente, descodificando mensagens e dizendo em voz alta o que o chefe do Estado não pode, ou não quer dizer.

Mas Marques Mendes é um comentador diferente. Mais sóbrio. De alguma forma, mais cerebral. Menos empático que o actual Presidente. Um exemplo: dificilmente o imaginamos a oferecer um leitão da Bairrada a Clara de Sousa, em directo, como Marcelo ofereceu a Júlio Magalhães. Em contrapartida, Marques Mendes dá notícias como nenhum outro comentador televisivo, e com uma credibilidade sem par. Ele é, hoje em dia, imprescindível para o que há-de ser, no futuro, a reconstrução da informação da SIC. Assim haja inteligência estratégica suficiente na estação para manter a aposta.

Mais notícias de Dicionário do amor

Refazer

Refazer

Refazer: v.: O mesmo que viver. Quem nunca teve de se refazer nunca soube o que era viver.
Resgate em directo

Resgate em directo

O drama das 12 crianças e do seu treinador, retirados do labirinto de uma gruta pelos esforços dos mergulhadores, foi um evento global que emocionou o mundo através da televisão.
Bolas de Berlim

Bolas de Berlim

Era uma senhora típica do Estado Novo: para fora vivia para o marido, a casa e os filhos, por dentro implodia de tédio, sem a capacidade de entender porque sentia tanta neura. Na época usava-se o termo neurasténica, uma espécie de genérico para as maleitas do espírito e do coração femininos.
Redoma

Redoma

Redoma: s.f.: Único espaço do mundo que, apesar de exíguo, é infinito. Somos do tamanho do que conseguimos suportar, e mais ainda do tamanho do que conseguimos superar.
A RTP ganhou o mundial

A RTP ganhou o mundial

O mês forte da competição na Rússia trouxe grandes subidas para o canal 1, e dificuldades crescentes para a SIC, que ajudou a televisão do Estado a pagar o torneio, mas pouco ou nada beneficiou com ele
És tu e tu e tu

És tu e tu e tu

Quando alguém desiste de nós, não vale a pena correr atrás, fazer piruetas, acenar com um isco, não vale a pena fazer nada a não ser aceitar e esperar. Aceitar sem culpa, esperar sem expectativas. E depois, é deixar a vida correr, ficar atento aos sinais, descansar o corpo e o coração, respeitar o luto e o pousio, até a vida dar a volta à vida.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável