Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Notícia

Ofício

Ofício: s.m. Aquilo para que nasces; dizem que o génio é o que cria algo – mas o génio é só o que ama algo.
18 de dezembro de 2017 às 07:00
...
Ofício

Três cães no meio do lixo à chegada a casa, noite fechada, a rua sem gente,

mesmo que lá estivesse quem os abandonou a rua sem gente,

que pessoas são estas que não são pessoas nenhumas?,

três cães procuram a sobrevivência no interior de caixotes de lixo, os olhos,

Relacionadas Ofender Ódio Ocultar Oco Ocaso

vem buscar-me, vem salvar-me,

quem abandona um cão mata um cão,

que se faz quando nos tiram o que somos?,

abandonar é a morte maior, uma humanidade que nenhum humano tem,

vem buscar-me, vem salvar-me,

apetece desistir de acreditar em gente quando se chega a três cães abandonados à volta do lixo,

quando for pai vou ensinar a ser pessoa, nada mais,

um abraço, um beijo, perceber que a vida é salvar vidas, pouco mais,

ou mesmo nada mais,

vem buscar-me, vem salvar-me,

as nossas lágrimas à chegada à casa com os três cães no lixo à frente, o estômago moído, a incapacidade de seguir em frente, como se não fosse nada,

o que dói mais do que haver pessoas que passam pela dor como se não fosse nada?,

abraço-te, quero-te esconder em mim e esconder-me em ti,

amar é esconder e proteger no mesmo abraço,

mudar o mundo é abdicar de deixar tudo na mesma, tão simples,

vem buscar-me, vem salvar-me,

um dos cães a procurar o fim da fome num pacote de leite, os dentes como facas em mim,

um dia vou ser capaz de ser imune ao que magoa, hoje não,

e espero que nunca, na verdade,

ser imune ao que magoa é morrer,

os nossos gatos em casa, a saudade, três dias longe deles e a vontade de os apertar para nos salvarmos, o olhar,

vem buscar-me, vem salvar-me,

há tanto para salvar com um simples olhar,

nunca se descobriu a cura para o amor, ainda bem,

nem para a falta dele, na verdade,

o meu filho há-de ser insuficiente, incapaz, carregado de falhas, de medos, de ansiedades,

mas nunca amputado de amor, prometo,

a vida é aquilo que apesar de nos tirar tanta coisa nos dá cada vez mais possibilidades de amar,

cada pessoa pode pelo menos salvar um milhão ou mais de pessoas, e de vidas variadas,

contas por baixo, claro, para não elevar expectativas,

vem buscar-me, vem salvar-me,

um dos gatos pousado no colo, o outro a caminho, a paz sem igual de uma casa com pessoas dentro,

quem ama uma vida não lhe conta as patas,

vem buscar-me, vem salvar-me,

e eu vou, garanto,

anda comigo,

vens?,

e traz um pouco de fé nisto tudo, sim?

 

Ofício: s.m. Aquilo a que te dedicas ao longo da tua vida; espero, para teu bem, que o teu cargo seja amar. Pode doer, mas são, lá está, ossos do ofício.

Mais notícias de Por detrás da Câmara

Desafios perigosos

Desafios perigosos

Abdicar da maturidade de Júlia Pinheiro nas manhãs da SIC, ao que tudo indica, pela irreverência de João Baião, não me parece que irá beliscar, quanto mais ferir de morte a concorrência.
O exemplo de Cláudia Vieira

O exemplo de Cláudia Vieira

A carta de uma fã sobre a humildade da actriz da SIC devia inspirar outros colegas… que fazem um frete para tirar uma ‘selfie’ com aqueles que os ajudam a ser alguém. No Algarve, houve mesmo um que disse: “Se tiver mesmo de ser…” Que vergonha!
Mais fácil

Mais fácil

Íris e eu passeamos e conversamos horas sem fim, como quem flutua por cima das coisas más, cada uma com o seu par de asas invisível, e no entanto tão poderoso. São as asas que nos levam onde queremos, quando queremos, para o coração de quem mais queremos.
Ma(donna) disto tudo

Ma(donna) disto tudo

Como é possível não conseguir vislumbrar que a presença de uma figura pública como Madonna, no nosso País, é benéfica? Afinal o que é mais provinciano? Ceder privilégios a uma figura pública com este perfil, ou permitir que a “nossa” "pequenez" se arvore e a amesquinhe.
Rei

Rei

Rei: s.m.: Aquele que ama e é amado. O mesmo que apaixonado.
Porquê, Fátima?

Porquê, Fátima?

Tirando o dinheiro que possa ganhar a mais, e ganha certamente, Fátima Lopes – tal como Manuel Luís Goucha – não acrescenta nada de importante ao seu currículo com a apresentação de ‘reality shows’.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável