pub
Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

Os verdadeiros amigos

Os amigos, tal como os canais de televisão, companheiros desde que nos conhecemos como gente, têm de ser escolhidos a dedo. Uns e outros carecem de dedicação extrema para se tornarem insubstituíveis.
05 de julho de 2017 às 18:54
Os verdadeiros amigos


As reflexões mais profundas que faço sobre televisão acontecem invariavelmente durante o período de férias. De comando na mão, com os sentidos em velocidade cruzeiro, dou por mim a navegar por centenas de canais, sendo muito poucos, aqueles onde aporto durante largos minutos.

Essa viagem noctívaga, acomodada pelo silêncio e a privacidade que tanto prezo fez-me pensar na amizade. Tal como na vida, em que não podemos ser verdadeiros amigos de todas as pessoas de quem gostamos, quando vemos televisão, e se assumirmos cada um dos canais como um potencial amigo, também nunca conseguimos estabelecer uma relação intensa com todos eles.

É impossível ter muitos amigos, por mais pessoas que nos rodeiem, por mais vontade que tenhamos de ser amigo de todas as pessoas de quem gostamos. O tempo e o espaço que ocupamos são finitos, cada vez mais exíguos, para o conseguirmos partilhar de forma indiscriminada.

Os amigos, tal como os canais de televisão, companheiros desde que nos conhecemos como gente, têm de ser escolhidos a dedo. Uns e outros carecem de dedicação extrema para se tornarem insubstituíveis, fiéis, interlocutores com quem partilhamos alegrias e tristezas, euforias e depressões; uns e outros têm de ser uma escolha nossa, racional, genuína.

Pouco esclarecidos são aqueles que continuam a achar que têm muitos amigos; que ainda não conseguiram fazer a destrinça entre os verdadeiros amigos e os "amigalhaços" de ocasião. E é com esta última espécie-em franco processo de reprodução-que temos de ter mais cautela.

É muito fácil separar o trigo do joio. Os amigos não são maus e desleais. É esse o preço da amizade: candura e lealdade.

Acreditem que um zapping de várias horas pode ajudar e muito nas nossas escolhas. Fui surpreendido com novas descobertas televisivas e também eliminei várias canais da box. Quanto aos amigos… Eles sabem quem são!

Mais notícias de Ana Gonçalves

Mar

Mar

Mar: s.m. Sinónimo perfeito de equilíbrio – e sinónimo perfeito de desequilíbrio; somos no interior da vida a areia no interior do mar: sabemos tão pouco de para onde vamos, e mesmo assim vamos, enrolados uns nos outros se pudermos, e soubermos, até que algum silêncio nos desassossegue do susto. Mas antes um navio afundado do que um que está sempre estacionado.

Humilhação

Não Há Crise, a nova aposta da SIC para os domingos à noite, prendeu mais 300 mil espectadores em relação à final de Just Duet. Confirma-se: João Manzarra é um erro de casting.

Rumo ao Canal-Selecção

Segredos, bastidores e intimidades, numa espécie de Big Brother do futebol: desta vez, o programa com imagens inéditas da equipa portuguesa foi produzido pela própria Federação.
O rapaz da lancheira

O rapaz da lancheira

Todas as grandes histórias de amor passam por um banco de jardim, desde a paixão dos meus pais até ao 'Notting Hill'. Há sempre um rapaz tímido, uma rapariga decidida, há sempre confidências e sorrisos, abraços adiados e beijos desejados.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável