pub
Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues Televisão Meu Amor

Notícia

Ouro mundial sem RTP

Os feitos de Inês Henriques, a melhor do mundo nos 50 quilómetros marcha, e do campeão olímpico Nélson Évora, no triplo salto, não mereceram transmissão na televisão do Estado. Passaram no Eurosport.
19 de agosto de 2017 às 00:30
"Vamos conquistar uma medalha de ouro!" Muito antes da chegada à meta, o avanço da atleta portuguesa já era tão grande que justificou o alerta.

"É na espantosa prova feminina dos 50 quilómetros-marcha. Liga aí para veres." A promoção personalizada aguçou a curiosidade. A televisão ligou-se, à procura. O hábito ancestral levou-me aos canais habituais para este tipo de conquistas, raras no atletismo português, e por isso mesmo ainda mais memoráveis. Canal 1: eucaristia dominical. Canal 2: programação infantil. "Mas onde é que isso está a dar?" Eis que, subitamente, a memória informada identifica o Eurosport como o canal que, naquele dia, cumpre a nobre missão de serviço público.

Lá estava Inês Henriques abraçada a uma bandeira maior do que ela, e que nos enchia os corações. A RTP diz que não comprou os direitos dos mundiais de atletismo devido aos valores "elevadíssimos e incomportáveis". "Foi humilhante",  respondeu, e bem, no Record, o presidente da Federação de Atletismo.

A explicação da RTP é falsa, porque no passado a empresa não se coibiu de fazer os investimentos necessários para garantir, por exemplo, a Liga dos Campeões, os Olímpicos ou mesmo os campeonatos europeus de atletismo.

Pelos vistos, o orçamento só não chegou para os mundiais. Trata-se de uma decisão que merece censura, e que solidifica a ideia-chave: estamos perante a pior gestão da RTP desde a estabilização do regime democrático. Uma gestão que não tem uma única ideia consistente sobre o que é o serviço público. O atletismo é apenas mais uma vítima desta desorientação e caos conceptual.

Mais notícias de Dicionário do Amor

Oco

Oco

Oco: adj. Aquele que, apesar de estar cheio de si, está irremediavelmente vazio.

Crimes e carreiras

Nenhum Inspector tem a seu cargo uma só investigação e são raras as vezes, no quadro de centenas de milhares de processos, em que se formam equipas dedicadas exclusivamente a um determinado crime, ou sequência de crimes.

Mais um desastre

A grande aposta do entretenimento da TVI para a rentrée, ‘Biggest Deal’, acabou de um dia para o outro. Fez-se um comunicado, com algumas inverdades, e siga para a frente. Assim vai a estação líder…
O fim de uma era na TVI

O fim de uma era na TVI

É o maior fracasso na carreira de Teresa Guilherme como apresentadora, mas é também sintoma da actual fragilidade da estação, que desiste de um formato original sem lutar por ele.
Miss Kevlar

Miss Kevlar

Eu e a minha imaginação galopante. Às vezes penso que tenho uma fábrica de ideias dentro da cabeça que funciona 365 dias por ano e nunca desliga. Coração blindado. Quem me dera ter ouvido isto há uns anos, talvez o meu coração estivesse menos amolgado.
Sorrir. Sempre!

Sorrir. Sempre!

"Devemos sorrir sempre! Até para as pessoas que não conhecemos e com as quais nos cruzamos na rua", dizia Fátima Lopes amiudadas vezes.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável