pub
Paulo Abreu
Paulo Abreu O Tal Canal

Notícia

Pobre Rita Pereira

Uma das actrizes mais medianas da sua geração, que saltou para a ribalta pelo seu namoro com o malogrado Angélico Vieira, que só sobrevive neste meio porque se sabe vender nas redes sociais – com ou sem roupa – e porque há sempre alguém disponível para a ajudar a promover sapatos ou cosméticos aos quais dá a cara, optou por um caminho. Mau, diga-se.
17 de junho de 2017 às 07:00

1. Imagine o seguinte, caro leitor: que é convidado para um casamento, um baptizado ou até uma festa de um amigo e, nesse evento, alguém o trata mal. Ora com palavras, ora com atitudes.

Pois bem, vem isto a propósito da apresentação da nova novela da TVI, 'A Herdeira'. Interrogada pelos jornalistas, acerca da trama, cujas gravações já arrancaram, e da sua personagem, Rita Pereira, de 35 anos de idade, disse, com cara de poucos amigos, que não sabia que papel tinha em mãos, e que história era aquela, pois tinha sabido deste trabalho 48 horas antes. "Só sei que é uma cigana. Fui avisada há dois dias... e apanhada de surpresa."

Rita Pereira, uma das actrizes mais medianas da sua geração, que saltou para a ribalta pelo seu namoro com o malogrado Angélico Vieira, que só sobrevive neste meio porque se sabe vender nas redes sociais – com ou sem roupa – e porque há sempre alguém disponível para a ajudar a promover sapatos ou cosméticos aos quais dá a cara, optou por um caminho. Mau, diga-se, ao nível do seu talento para representar.

A TVI, que lhe paga um chorudo ordenado, não merece gente assim, gente que ponha em causa uma estratégia vencedora, gente pouco humilde e que parece andar a fazer fretes.

Acredito que, num futuro próximo, já com a Altice como dona da estação de Queluz de Baixo e muito provavelmente com José Eduardo Moniz no lugar de Bruno Santos – um director-geral sem carisma e sem pulso –, as coisas venham a mudar. É que este circo tem de ter limites. Aliás, as palavras do consultor para a ficção sobre Rita foram bem claras. "Ela soube quando tinha de saber."

2. Eduardo Madeira também não tem limites. Agora despiu-se e nadou no rio Tejo, perto do Castelo de Almourol, para pagar uma promessa, relacionada com a vitória de Salvador na Eurovisão.

A TVI registou esse feito, chegando a enviar uma equipa de reportagem ao local, e passou-o no 'Você na TV!', com direito a uma entrevista ao artista nu, só com uma toalha a tapar o sexo. No final, Cristina Ferreira ria-se que nem uma perdida. Pois, claro, afinal, tínhamos acabado de viver um momento histórico de televisão...

Mais notícias de Ana Gonçalves

Longe

Longe

Longe: adv. Aquilo que não aquece nem arrefece; se não mexe contigo: dá-lhe distância. A distância não é o espaço entre ti e um qualquer local ou pessoa – é o espaço entre ti e o que te faz seres tu. Quem não te sente não faz parte da tua gente.

FOGO RUIM

O país emudeceu de espanto ao ver as imagens de destruição, a mortandade, a aflição de tanta gente sem destino, com o passado em chamas e sem um pedaço de futuro a que se agarrar.

Bombeiro, meu herói

Nunca os vi queixarem-se de nada, mesmo quando deixam mulheres, filhos e pais para trás, sem saber se regressam ao conforto do lar. Ali não há lugar ao cansaço, ao medo, à fome nem à sede.

O fogo na RTP, SIC e TVI

A RTP1 foi a estação que reagiu melhor, no trabalho de campo e na agilidade de grelha. A TVI ganhou no sensacionalismo. Já a SIC passou ao lado da tragédia, e perdeu em toda a linha
Solistício de verão

Solistício de verão

No dia mais feliz do ano acho que sou tão feliz em Belém como na Sardenha. E nem sequer tenho de apanhar nenhum avião. Afinal, a felicidade nunca está num lugar, está sempre ou na cabeça ou no coração. E se estiver nos dois ao mesmo tempo, então é o pleno.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável