Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores piquete de polícia

Notícia

Ressaca de Fátima

A explosão de uma bomba naquele recinto de fé teria lançado o caos e destruído uma bela festa religiosa e assumiria proporções mundiais.
19 de maio de 2017 às 08:00

Sabendo-se que grandes multidões são alvos apetecíveis para os terroristas, a preparação da operação, que assegurava tranquilidade às centenas de milhares de pessoas que esperava o Papa Francisco, foi um trabalho gigantesco que correu longe do olhar dos curiosos. A explosão de uma bomba naquele recinto de fé teria lançado o caos e destruído uma bela festa religiosa e assumiria proporções mundiais.

Felizmente não foi assim. Desde o encerramento das fronteiras, passando pelo controlo apertado do espaço aéreo até aos serviços de informações e policiamento de proximidade, todos os aspectos da segurança foram assegurados e, como sempre, quando as coisas correm bem, não existem notícias nem se fala deste esforço invisível.

Apenas com uma reserva. As desastradas declarações da ministra da Administração Interna, a propósito das acomodações dos militares da Guarda Republicana mobilizados para prestar serviço naquele recinto. Dormindo em colchões espalhados pelo chão de grandes pavilhões, houve da parte dos militares queixas da falta de condições pois não havia casas de banho acessíveis para perto de dois mil homens. O comentário da ministra quis ser jocoso, sugerindo que talvez estivessem sem protestos se ficassem alojados num hotel de cinco estrelas.

Não teve a resposta que merecia. Em hotéis de cinco estrelas ficam alojados ministros e não deve haver um agente policial que sonhe ascender a esse panteão de deuses, por mais medíocres que sejam. É certo que estavam numa operação de grande envergadura e responsabilidade. Porém, as condições mínimas de sobrevivência são elementares quando se trata de logística. Sobretudo de casas de banho. Ora não perceber isto, revela como voltamos sempre à velha necessidade de recordar que polícias e guardas não são bichos. Coisa que a senhora ministra parece ignorar.

Mais notícias de Piquete de Polícia

Os sportingados

Os sportingados

Este Mundial, disputado com o mesmo entusiasmo, coincide com a crise mais medonha que atravessa o clube que mais jogadores fornece à Seleção Nacional: o Sporting. A criatura insultou e agora pode limpar as mãos à consciência.
Abandonada por todos

Abandonada por todos

Sem trabalho na SIC, onde já nem os Globos de Ouro apresenta, Bárbara Guimarães continua a dar tiros nos pés. Agora, julgou o tribunal, ficou sem carta de condução e foi condenada a pagar uma multa avultada. Pior era impossível.
Parece que foi ontem

Parece que foi ontem

O aniversário do primeiro dos dois grandes incêndios mortais do ano passado levou o país político até ao interior de Portugal. Desta vez, as televisões, que aprenderam a lição, fizeram uma cobertura digna.
Um outro futuro

Um outro futuro

O meu bairro deixou de ser triste, tornou-se alegre, depois festivo, finalmente histérico, por isso fugi. Fugi do progresso, do bulício, da confusão. Fugi das ruas encardidas, do ruído incessante dos prédios em reconstrução, da cidade que se tornou insone e voltei para a minha casa de escritora com vista para o mar.
Razão

Razão

Razão: s.f.: Aquilo que, muitas vezes, perdemos para tentarmos ter: há tanto quem perca a razão para ter razão, que estupidez.
Um cancro na SIC

Um cancro na SIC

Que audiências teria o ‘Jornal da Noite’, com Clara de Sousa ou Rodrigo Guedes de Carvalho, se não tivesse, às 19:00, um sofrível programa, como ‘Linha Aberta’, de Hernâni Carvalho?

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável