Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TELEVISÃO MEU AMOR

Notícia

Rumo ao Canal-Selecção

Segredos, bastidores e intimidades, numa espécie de Big Brother do futebol: desta vez, o programa com imagens inéditas da equipa portuguesa foi produzido pela própria Federação.
21 de julho de 2017 às 15:03

O apetite das televisões pelas imagens dos bastidores do futebol é voraz, e acentua-se quando se trata de campeões.

É o mesmo género de atração que faz o sucesso de um 'reality show': espreitar pela fechadura e ver a intimidade, descobrir os segredos, ver o Big Brother do futebol. No passado, isso já proporcionou aos portugueses programas diários, executados e emitidos durante os torneios.

Em 2012, um operador de câmara da Federação gravava imagens, entregues à SIC, que as emitia em horário nobre. Foi o primeiro teste do género, mas o 'Vamos Lá, Portugal' não foi um sucesso, limitado à escolha prévia, feita pela FPF, para proteger sensibilidades. Este volta a ser o ponto vulnerável do documentário sobre o Euro’16, que a RTP exibiu em dois dias, a seguir ao Telejornal, de novo com resultados abaixo do expectável.

Desta vez, a autoria foi da FPF, que deu um passo rumo à emancipação como produtora dos seus próprios conteúdos. O racional é simples: se os clubes têm os seus canais, qual o motivo para que a Selecção não tenha? As vantagens para o controlo das mensagens e para a rentabilização comercial são óbvias. As desvantagens também: o trabalho teve depoimentos e boas imagens, mas que se limitavam a mostrar outros ângulos do que já se tinha visto. Teve poucos bastidores, raros momentos de intimidade, e quase nenhum segredo. A excepção terá sido a revelação dos dotes de dançarino de Fernando Santos. Pouco para o que se queria ilustrar: a emoção de um triunfo, os bastidores da glória.  Criar um "canal-Selecção" pode ser um achado valioso. Porém, há, ainda, muito a percorrer.                                                                 

Mais notícias de Dicionário do amor

Refazer

Refazer

Refazer: v.: O mesmo que viver. Quem nunca teve de se refazer nunca soube o que era viver.
Resgate em directo

Resgate em directo

O drama das 12 crianças e do seu treinador, retirados do labirinto de uma gruta pelos esforços dos mergulhadores, foi um evento global que emocionou o mundo através da televisão.
Bolas de Berlim

Bolas de Berlim

Era uma senhora típica do Estado Novo: para fora vivia para o marido, a casa e os filhos, por dentro implodia de tédio, sem a capacidade de entender porque sentia tanta neura. Na época usava-se o termo neurasténica, uma espécie de genérico para as maleitas do espírito e do coração femininos.
Redoma

Redoma

Redoma: s.f.: Único espaço do mundo que, apesar de exíguo, é infinito. Somos do tamanho do que conseguimos suportar, e mais ainda do tamanho do que conseguimos superar.
A RTP ganhou o mundial

A RTP ganhou o mundial

O mês forte da competição na Rússia trouxe grandes subidas para o canal 1, e dificuldades crescentes para a SIC, que ajudou a televisão do Estado a pagar o torneio, mas pouco ou nada beneficiou com ele
És tu e tu e tu

És tu e tu e tu

Quando alguém desiste de nós, não vale a pena correr atrás, fazer piruetas, acenar com um isco, não vale a pena fazer nada a não ser aceitar e esperar. Aceitar sem culpa, esperar sem expectativas. E depois, é deixar a vida correr, ficar atento aos sinais, descansar o corpo e o coração, respeitar o luto e o pousio, até a vida dar a volta à vida.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável