Sandro Bettencourt
Sandro Bettencourt Por detrás das câmaras

Notícia

"Salvador" da Pátria

Numa altura em que os trejeitos de Salvador e a forma "sui generis" de se apresentar em palco eram alvo de crítica e até de escárnio consegui discernir de forma diferente o futuro risonho de um jovem prodígio que começou por cantar descomprometido nas ruas de Barcelona.
18 de maio de 2017 às 17:19
...
"Salvador" da Pátria

Ainda longe de saber que iria ser ele o vencedor do Festival da Eurovisão assinei uma crónica-a 10 março de 2017-defendendo a genuinidade e a simplicidade demonstradas, em direto, por Salvador Sobral, na 51ª edição do Festival da Canção.

Na minha opinião sempre foram essas as características que conferiram a este jovem artista a elevação necessária para inscrever o seu nome na gesta da música portuguesa e consequentemente a possibilidade de nos fazer sonhar.

Numa altura em que os trejeitos de Salvador e a forma "sui generis" de se apresentar em palco eram alvo de crítica e até de escárnio consegui discernir de forma diferente o futuro risonho de um jovem prodígio que começou por cantar descomprometido nas ruas de Barcelona.

A vitória retumbante na Ucrânia passou a conferir ao miúdo "desajeitado" o epíteto de herói nacional com direito a uma recepção monstruosa no aeroporto Humberto Delgado e a uma saudação com honras de Estado na Assembleia da República.

Salvador Sobral, tal como conjecturei, "amou pelos dois" e cantou pela Nação. Descomprometido. Fiel aos sentimentos. Sem filtros. E nós, de olhos colados ao pequeno ecrã, rejubilámos com a tua, a nossa vitória. Obrigado "salvador" da Pátria. Resta saber se, à semelhança de tão famideradas figuras da nossa históra, não serás em breve esquecido pelos mesmos que hoje te aplaudem e o teu feito não passará a ser uma singela bruma da memória.

Mais notícias de O tal canal

Obviamente, demitam-no

Se Nuno Artur Silva está agarrado à cadeira do poder, alguém que mande a sério na RTP ponha este administrador na rua. Estamos fartos de negócios pouco transparentes.

A SIC para lá do limite

Há crianças mal comportadas, famílias desestruturadas e uma psicóloga clínica, que se propõe resolver tudo, em frente às câmaras. O resultado é emocionalmente mais violento do que um 'reality show', com 'Supernanny' debaixo de fogo.
O Grito

O Grito

É sabido que o Romantismo foi um movimento cultural que só contribuiu para atrasar o mundo. Todo o herói romântico sofre muito, seja de solidão, de desamor ou de doença. E sofre porque se entrega à sua desgraça de quem, podendo escolher entre vários destinos, se atira de cabeça para o pior de todos, como quem se atira para uma piscina vazia quando se apaixona pela pessoa errada.
Omissão

Omissão

Omissão: s.f. Acto de fugir ao que nos causa problemas; o mesmo que cobardia.

Crianças da IURD

Esta enorme árvore onde se mistura crendice e crime, tende a tapar a floresta. E a floresta esconde os técnicos de acção social, magistrados, juízes que, há cerca de vinte anos, permitiram que tudo isto acontecesse.
O fim de Júlia Pinheiro

O fim de Júlia Pinheiro

Perde sempre como apresentadora e está perdida como directora. "O Goucha vai dar-nos uma sova tremenda", diz, com um "grande sorriso". Assim vai a SIC: de mal a pior.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável