Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues

Notícia

Um Verão com CR7

Com mais crianças em casa, o cabo vai continuar a subir. Nas generalistas, a RTP1 vai ter dois meses de ouro por causa da Selecção, e isso vai acentuar o nervosismo na SIC.
09 de junho de 2017 às 15:12

O Verão chega com as audiências dos 3 canais em sinal aberto estabilizadas, mas todos com enormes desafios pela frente. Vamos por partes: a TVI está inamovível na liderança. De janeiro a maio, oscilou sempre entre os 21 e os 22 pontos de share diário mensal.

Conquistado o horário das 19 horas, o grande desafio para Queluz de Baixo é, agora, combater o desgaste das noites de domingo, com o fim do Pesadelo na Cozinha (que se despediu com mais um recorde no último episódio).

A tarefa está facilitada pela fraqueza da SIC neste horário. Já no day time, a liderança da TVI está menos sólida, com fragilidades na manhã, devido à nova aventura de Cristina Ferreira, e a tarde a aguentar bem, mas sem arrasar. Para a RTP, o Verão vai trazer nova barrigada de jogos da Selecção, e isso vai mexer com as audiências.

Em junho e julho, o canal 1 da RTP terá, pelo menos, duas dezenas de jogos, sendo que, no mínimo, quatro deles terão a equipa de Portugal, quer na Letónia, onde se joga o apuramento para o Mundial, quer na Rússia, onde CR7 e companhia vão jogar a Taça das Confederações. A RTP1, que já atravessou enormes dificuldades em 2017, teve em maio o melhor resultado do ano, com 13,7% de share médio diário.

Com tanto futebol, a televisão do Estado não conseguirá chegar à liderança, mas vai continuar a crescer nos próximos meses, até morder os calcanhares à SIC. Isso acentuará o nervosismo em Carnaxide. Vem aí um Verão em cheio para Ronaldo, mas sem grandes novidades televisivas: desgaste das generalistas, crecimento do cabo. As grandes revoluções nos canais só chegam em setembro. 

Mais notícias de O tal canal

Obviamente, demitam-no

Se Nuno Artur Silva está agarrado à cadeira do poder, alguém que mande a sério na RTP ponha este administrador na rua. Estamos fartos de negócios pouco transparentes.

A SIC para lá do limite

Há crianças mal comportadas, famílias desestruturadas e uma psicóloga clínica, que se propõe resolver tudo, em frente às câmaras. O resultado é emocionalmente mais violento do que um 'reality show', com 'Supernanny' debaixo de fogo.
O Grito

O Grito

É sabido que o Romantismo foi um movimento cultural que só contribuiu para atrasar o mundo. Todo o herói romântico sofre muito, seja de solidão, de desamor ou de doença. E sofre porque se entrega à sua desgraça de quem, podendo escolher entre vários destinos, se atira de cabeça para o pior de todos, como quem se atira para uma piscina vazia quando se apaixona pela pessoa errada.
Omissão

Omissão

Omissão: s.f. Acto de fugir ao que nos causa problemas; o mesmo que cobardia.

Crianças da IURD

Esta enorme árvore onde se mistura crendice e crime, tende a tapar a floresta. E a floresta esconde os técnicos de acção social, magistrados, juízes que, há cerca de vinte anos, permitiram que tudo isto acontecesse.
O fim de Júlia Pinheiro

O fim de Júlia Pinheiro

Perde sempre como apresentadora e está perdida como directora. "O Goucha vai dar-nos uma sova tremenda", diz, com um "grande sorriso". Assim vai a SIC: de mal a pior.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável