Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

Vantagem para a RTP

Num ano cheio de notícias de grande impacto, os três generalistas reagiram bem, com algumas excepções. Já no cabo, as estações passaram a agir como se se preparassem para fechar os canais de notícias.
15 de dezembro de 2017 às 07:00

O ano começou com o Telejornal a ganhar à concorrência. Com alinhamentos mais escorreitos, o noticiário da RTP1 beneficiou de uma conjuntura de grelha favorável. A vantagem, histórica, revelou-se circunstancial, pois não resistiu ao reforço da TVI, às 7 da tarde. Quando o "gordo" fraquejou, o Telejornal caiu. Mas isso não tira mérito à informação da RTP, única área da empresa que dá cartas. 2017 teve duas notícias principais: os mais de 100 mortos nos fogos, e a acusação, inédita, a um antigo Primeiro-Ministro.

A RTP foi quem melhor aliou eficácia e independência. Deixou a SIC para trás, tecnologicamente antiquada e sem qualquer agilidade, e superiorizou-se, também, à TVI, mostrando independência que a estação de Queluz não pode ostentar, porque está capturada por interesses anti-jornalísticos. Nos fogos, a RTP foi a generalista que chegou primeiro a mais sítios. Mostrou, porém, o mesmo desprezo que SIC e TVI pela informação no cabo. As estações agem como se estivessem para fechar os canais de notícias, sujeitando-os a um apagão vergonhoso em situações de alerta nacional. A falha nos incêndios repetiu-se na tempestade do fim de semana passado.

Mais uma vez, só a CMTV informou em permanência. Já o caso Sócrates reforçou a percepção de independência da RTP, em contraponto, sobretudo, com a TVI. Nesta matéria, destacou-se um entrevistador que amadurece: Vítor Gonçalves. Por fim, boa nota para Pedro Coelho, Ana Leal e o Sexta às 9: jornalismo de qualidade nos três canais generalistas, Para a semana, o melhor e o pior da televisão portuguesa, em 2017.

Mais notícias de Dicionário do amor

Onírico

Onírico

Onírico: adj. Antónimo, e sinónimo, de real. Só quem tira os pés do chão merece andar na Terra.

Obviamente, demitam-no

Se Nuno Artur Silva está agarrado à cadeira do poder, alguém que mande a sério na RTP ponha este administrador na rua. Estamos fartos de negócios pouco transparentes.

A SIC para lá do limite

Há crianças mal comportadas, famílias desestruturadas e uma psicóloga clínica, que se propõe resolver tudo, em frente às câmaras. O resultado é emocionalmente mais violento do que um 'reality show', com 'Supernanny' debaixo de fogo.
O Grito

O Grito

É sabido que o Romantismo foi um movimento cultural que só contribuiu para atrasar o mundo. Todo o herói romântico sofre muito, seja de solidão, de desamor ou de doença. E sofre porque se entrega à sua desgraça de quem, podendo escolher entre vários destinos, se atira de cabeça para o pior de todos, como quem se atira para uma piscina vazia quando se apaixona pela pessoa errada.
Omissão

Omissão

Omissão: s.f. Acto de fugir ao que nos causa problemas; o mesmo que cobardia.

Crianças da IURD

Esta enorme árvore onde se mistura crendice e crime, tende a tapar a floresta. E a floresta esconde os técnicos de acção social, magistrados, juízes que, há cerca de vinte anos, permitiram que tudo isto acontecesse.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável