Carlos Rodrigues
Carlos Rodrigues TV Meu Amor

Notícia

Vantagem para a RTP

Num ano cheio de notícias de grande impacto, os três generalistas reagiram bem, com algumas excepções. Já no cabo, as estações passaram a agir como se se preparassem para fechar os canais de notícias.
15 de dezembro de 2017 às 07:00

O ano começou com o Telejornal a ganhar à concorrência. Com alinhamentos mais escorreitos, o noticiário da RTP1 beneficiou de uma conjuntura de grelha favorável. A vantagem, histórica, revelou-se circunstancial, pois não resistiu ao reforço da TVI, às 7 da tarde. Quando o "gordo" fraquejou, o Telejornal caiu. Mas isso não tira mérito à informação da RTP, única área da empresa que dá cartas. 2017 teve duas notícias principais: os mais de 100 mortos nos fogos, e a acusação, inédita, a um antigo Primeiro-Ministro.

A RTP foi quem melhor aliou eficácia e independência. Deixou a SIC para trás, tecnologicamente antiquada e sem qualquer agilidade, e superiorizou-se, também, à TVI, mostrando independência que a estação de Queluz não pode ostentar, porque está capturada por interesses anti-jornalísticos. Nos fogos, a RTP foi a generalista que chegou primeiro a mais sítios. Mostrou, porém, o mesmo desprezo que SIC e TVI pela informação no cabo. As estações agem como se estivessem para fechar os canais de notícias, sujeitando-os a um apagão vergonhoso em situações de alerta nacional. A falha nos incêndios repetiu-se na tempestade do fim de semana passado.

Mais uma vez, só a CMTV informou em permanência. Já o caso Sócrates reforçou a percepção de independência da RTP, em contraponto, sobretudo, com a TVI. Nesta matéria, destacou-se um entrevistador que amadurece: Vítor Gonçalves. Por fim, boa nota para Pedro Coelho, Ana Leal e o Sexta às 9: jornalismo de qualidade nos três canais generalistas, Para a semana, o melhor e o pior da televisão portuguesa, em 2017.

Mais notícias de Por detrás das câmaras

El Portugués

El Portugués

Paulo Futre não conseguiu conter as lágrimas no programa 'Liga D´Ouro', emitido pela CMTV, quando Octávio Machado lhe lançou um elogio. As palavras do ex-treinador desmontaram-lhe o rosto, quase sempre sorridente, e revelaram ao país um homem sensível, humilde.
Papiro

Papiro

Papiro: s.m. Primeiro meio de transporte de alta velocidade da história do mundo. Não é o que não está perto que faz doer; é o que não se sente perto.
Lula preso

Lula preso

A detenção do ex-presidente da República do Brasilé uma gota de água, num estado dominado pelo poder negro da corrupção. O actual, Michel Temer, espera a sua vez de ir para a cadeia.
Actores (quase) unidos

Actores (quase) unidos

Sempre ouvi dizer que a classe artística não é unida. Que eram facadas atrás de facadas entre os colegas. Mas ver os “miúdos” Cláudia Vieira, José Mata e Sara Prata, entre outros, a lutarem na rua por uma profissão digna, com mais e melhores condições, abre uma janela de esperança.
Lenta é a combustão

Lenta é a combustão

A lua começou a trepar pelo firmamento, de um amarelo impertinente, como uma bola de ténis gigante lançada por um canhão, atrasada por uma imagem em câmara muito lenta. Lenta é a combustão, lembro-me de ter pensado, antes que o meu cérebro, aparentemente atento e desperto, se ia desligando nas suas funções, uma a uma, como um edifício de muito andares onde a luz vai falhando por sucessivos curto-circuitos e a escuridão galgando a fachada até ao último andar.
A ESTÁTUA de Ronaldo

A ESTÁTUA de Ronaldo

A principal razão para os directos serem momentos tão especiais de televisão é que, a qualquer momento, pode acontecer algo inesquecível. Foi assim com o golo de bicicleta.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável