Margarida Rebelo Pinto
Margarida Rebelo Pinto

Notícia

'Y viva España'

Meti-me num grande alhada. Mas não é de agora. Não sei porque é que ao longo da vida as pessoas inteligentes tomam decisões estúpidas. Não tenho nada de original, sou apenas mais um idiota a cair no mesmo erro.
22 de setembro de 2017 às 13:44
...
'Y viva España'

A Blanca apareceu-me em casa de repente com duas malas enorme e disse que agora ia mesmo ficar por Lisboa. Eu nem queria acreditar. Que sabia do meu caso com a Luísa, mas que a culpa era dela por ter estado tanto tempo ausente, ela mesma tinha provocado o problema e agora ali estava pronta para me perdoar a distração e reconstruir a nossa relação.

Reconstruir o quê? A nossa relação nunca sobreviveu ao período de pose, por isso não conta para nada. Desde o dia do casamento que ela se revelou no seu pior, inútil, narcísica, mimada, preguiçosa e egoísta. Quando vim para Lisboa, já estava farto dela a das merdas dela. O tempo que ela passava em Madrid era para mim um alívio. Várias vezes lhe disse que se calhar era altura de nos separarmos oficialmente, e ele respondia que talvez não fosse má ideia. Era tão desligada de mim e das miúdas que cheguei a pensar que tinha um gajo em Madrid.

E se calhar tinha, mas assim que soube que estava em risco de perder a sua posição de legítima por causa de uma babysitter, fez a agulha e voltou à base. Queria compensar-me de toas as ausências, 'ser una buena madre y una buena mujer'.

Coitada da Luísa. Fartou-se de chorar quando lhe disse que a Blanca tinha voltado. Começou a tremer com um ataque de hipotermia. Lembrou-me aquelas crianças que escapam a massacres e a bombardeamentos.

- Como é que podes fazer-me uma coisa destas, depois de tudo o que fiz por ti e pelas miúdas?

Não sabia o que lhe dizer, por isso calei-me. Ela levantou-se e desapareceu. Olho para o horizonte e está tudo enovoado. Não vejo nem o passado, nem o futuro, nem sequer o presente. A minha vida é um caos e não sei como sair dele. Tenho uma mulher em casa de quem já não gosto

Volto a casa e abro uma garrafa de branco, bebo três copos de seguida. Quando a Blanca chega com as miúdas, digo-lhe "é melhor arranjares tu uma baby sitter nova. Os olhos de Blanca brilham de triunfo. E trata tu dos banhos e do jantar das miúdas porque hoje não estou com cabeça".

Fecho-me no quarto para o qual levo a garrafa e fico a ver a 'Sport TV' e a embebedar-me.

Um mês depois a Blanca surpreende-me com um sorriso radioso numa sexta-feira à tarde.

- O que se passa? Ganhaste a lotaria?

- 'Si mi amor, es que estoy embarazada'.

Um homem só faz merda duas vezes na vida. Quando não tem nada a perder, ou quando tem tudo a perder. E às vezes o tudo transforma-se em nada e vice-versa. Vou ser pai outra vez. 'Y viva España'.

Mais notícias de O Tal Canal

A guerra de Fátima Lopes

A guerra de Fátima Lopes

As entrevistas da apresentadora aos sábados são boas, mas depois falta-lhe tudo o resto. Enquanto reinar este amadorismo na TVI, Daniel Oliveira vai vencendo, à mesma hora, na SIC. Até com aquelas perguntas sonsas.
Embaixador do futebol

Embaixador do futebol

Só mesmo uma conferência de imprensa de CR7 seria capaz de desviar as atenções globais  da consagração da equipa francesa, nova bicampeã do mundo, pelas ruas de Paris.
Verão cinzento

Verão cinzento

Precisamos de parar para pensar. Precisamos de parar para mudar o que ainda vamos a tempo de mudar. E fazer dessa mudança um hábito diário. Dizer boa tarde quando entramos num elevador. Conversar com a senhora que lava as escadas do prédio. Visitar aquele familiar que mora longe. Dormir sem o telemóvel na cabeceira. Mandar menos e mensagens e dar mais abraços. Enviar menos emojis e mais poesia. Usar mais o dom da palavra que é o poder que temos sobre o mundo. Ter mais tempo para os outros. Ouvir mais o coração.
Refazer

Refazer

Refazer: v.: O mesmo que viver. Quem nunca teve de se refazer nunca soube o que era viver.
Resgate em directo

Resgate em directo

O drama das 12 crianças e do seu treinador, retirados do labirinto de uma gruta pelos esforços dos mergulhadores, foi um evento global que emocionou o mundo através da televisão.
Bolas de Berlim

Bolas de Berlim

Era uma senhora típica do Estado Novo: para fora vivia para o marido, a casa e os filhos, por dentro implodia de tédio, sem a capacidade de entender porque sentia tanta neura. Na época usava-se o termo neurasténica, uma espécie de genérico para as maleitas do espírito e do coração femininos.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável