Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Lula preso

A detenção do ex-presidente da República do Brasilé uma gota de água, num estado dominado pelo poder negro da corrupção. O actual, Michel Temer, espera a sua vez de ir para a cadeia.

O terrorismo (in)esperado

Os trágicos acontecimentos em França, perto de Carcassone, em que um terrorista tresloucado matou quatro pessoas, feriu outras tantas, nomeadamente um cidadão português emigrado, e reactualizou o debate sobre o terrorismo.

Incêndios e tragédias  

É claro que a politiquice vai manipular, contextualizar, descontextualizar, enquadrar, desenquadrar as afirmações que ali estão escritas no sentido de sacudir a água do capote.

Gabriel Cruz

Não são raros estes crimes entre pessoas que partilham a mesma intimidade. Em Portugal, nos últimos anos, soubemos de várias mães que mataram os filhos. No entanto, são tragédias tão terríveis que não deixam ninguém indiferente.

Brincar com a Água

Nos dias que agora correm, bem se pode dizer que com a água não se brinca. Basta ver as imagens da explosão do mar em fúria contra a costa para termos a percepção da violência das águas.

Ruben Semedo

Foi preso. Suspeito de sequestro e roubo. Não é a primeira vez que tem problemas com a polícia por outros tipo de transgressões e é com tristeza que vemos uma jovem estrela estar a construir um cadastro em vez de criar um cv.

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.

Temporal

Quem passou por esta semana com tanta investigação, tanta discussão sobre julgamentos, justiça, poderosos e tantos donos disto tudo, fica com a ideia de uma País a saque.

Crimes e clubes

Os mails, os vouchers, a compra de árbitros, as cartilhas, a linguagem de rufia de alguns dos intervenientes, a fadistice vadia que cruza esta miserável barafunda só tem um objectivo: mobilizar argumentos para justificar as derrotas.

Exame ao Morto

A propósito de uma acção judicial interposta por causa de uma herança, um magistrado do Tribunal de Beja pediu ao hospital da mesma cidade que procedesse ao exame psiquiátrico do indivíduo que cedeu os bens para herança.

Crianças da IURD

Esta enorme árvore onde se mistura crendice e crime, tende a tapar a floresta. E a floresta esconde os técnicos de acção social, magistrados, juízes que, há cerca de vinte anos, permitiram que tudo isto acontecesse.

ANO NOVO!

Que 2018 nos traga mais paz, sabedoria e conforto. É o que lhe desejo, caro leitor, neste tempo de renovação da esperança.

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável