Francisco Moita Flores
Francisco Moita Flores Piquete de Polícia

Esperando os incêndios

Começa a cheirar a verão e, com ele, os incêndios estão à porta. Entramos nesta época carregando os traumas e o horror das tragédias do ano passado.

Abril e o tempo

A revolução de abril surge, neste contexto, como uma memória gratificante. Dias de sonhos e de quimeras. De paixão por todas as utopias. De confiança emocionada e comovida. Demos passos extraordinários.

Os erros de Sócrates

Esta semana vimos, nos grandes meios de comunicação social, imagens de alguns dos interrogatórios a José Sócrates. É o pretexto para esta crónica.

Lula preso

A detenção do ex-presidente da República do Brasilé uma gota de água, num estado dominado pelo poder negro da corrupção. O actual, Michel Temer, espera a sua vez de ir para a cadeia.

O terrorismo (in)esperado

Os trágicos acontecimentos em França, perto de Carcassone, em que um terrorista tresloucado matou quatro pessoas, feriu outras tantas, nomeadamente um cidadão português emigrado, e reactualizou o debate sobre o terrorismo.

Incêndios e tragédias  

É claro que a politiquice vai manipular, contextualizar, descontextualizar, enquadrar, desenquadrar as afirmações que ali estão escritas no sentido de sacudir a água do capote.

Gabriel Cruz

Não são raros estes crimes entre pessoas que partilham a mesma intimidade. Em Portugal, nos últimos anos, soubemos de várias mães que mataram os filhos. No entanto, são tragédias tão terríveis que não deixam ninguém indiferente.

Brincar com a Água

Nos dias que agora correm, bem se pode dizer que com a água não se brinca. Basta ver as imagens da explosão do mar em fúria contra a costa para termos a percepção da violência das águas.

Ruben Semedo

Foi preso. Suspeito de sequestro e roubo. Não é a primeira vez que tem problemas com a polícia por outros tipo de transgressões e é com tristeza que vemos uma jovem estrela estar a construir um cadastro em vez de criar um cv.

O sexo e a Igreja

As relações e reflexões da Igreja sobre a sexualidade são dos momentos mais terríveis na história desta instituição eclesial e com a qual continua sem acertar o passo.

Temporal

Quem passou por esta semana com tanta investigação, tanta discussão sobre julgamentos, justiça, poderosos e tantos donos disto tudo, fica com a ideia de uma País a saque.

Crimes e clubes

Os mails, os vouchers, a compra de árbitros, as cartilhas, a linguagem de rufia de alguns dos intervenientes, a fadistice vadia que cruza esta miserável barafunda só tem um objectivo: mobilizar argumentos para justificar as derrotas.

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável