Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Dicionário do amor

Omissão

Omissão: s.f. Acto de fugir ao que nos causa problemas; o mesmo que cobardia.

Ombro

Ombro: s.m. Região mais rica do planeta; pobre é apenas aquele que não tem um ombro para pousar os medos.

Olhar

Olhar: v. O lado emocional de ver; qualquer estúpido vê mas só uma pessoa olha.

Ofuscar

Ofuscar: v. Capacidade para fazeres do que sentes aquilo que vês; só o que te ofusca te apaixona.

Ofício

Ofício: s.m. Aquilo para que nasces; dizem que o génio é o que cria algo – mas o génio é só o que ama algo.

Ofender

Ofender: v. Aquilo que só fazes a quem te ama; quando alguém que não amas te ofende não te ofende coisa nenhuma — e é sequer pensar que o faz que é ofensivo.

Ódio

Ódio: s.m. Aquilo que sentem os que nada sentem; nunca alguém apaixonado odiou alguém.

Ocultar

Ocultar: v. Movimento involuntário de todos os humanos; somos aquilo que não conseguimos deixar de esconder. E um dos maiores fascínios da vida é não sabermos o que está por trás de cada porta.

Oco

Oco: adj. Aquele que, apesar de estar cheio de si, está irremediavelmente vazio.

Ocaso

Ocaso: s.m. Momento em que tudo se apaga no meio de nós; não precisamos de luz para ver o amor — precisamos do amor para ver a luz.

Óbvio

Óbvio: adj. Aquilo que ninguém vê, como é óbvio. Só o desinteressante é evidente.

Nus

Nus: adj. Diz-se que é o estado temporário daqueles que não se vestem — quando se devia dizer que é o estado permanente daqueles que não sentem.

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável