Piquete de Polícia

Francisco Moita Flores

Piquete de Polícia

Os sportingados

Este Mundial, disputado com o mesmo entusiasmo, coincide com a crise mais medonha que atravessa o clube que mais jogadores fornece à Seleção Nacional: o Sporting. A criatura insultou e agora pode limpar as mãos à consciência.
O Tal Canal

Paulo Abreu

O Tal Canal

Abandonada por todos

Sem trabalho na SIC, onde já nem os Globos de Ouro apresenta, Bárbara Guimarães continua a dar tiros nos pés. Agora, julgou o tribunal, ficou sem carta de condução e foi condenada a pagar uma multa avultada. Pior era impossível.
Pessoas Como Nós

Margarida Rebelo Pinto

Pessoas Como Nós

Um outro futuro

O meu bairro deixou de ser triste, tornou-se alegre, depois festivo, finalmente histérico, por isso fugi. Fugi do progresso, do bulício, da confusão. Fugi das ruas encardidas, do ruído incessante dos prédios em reconstrução, da cidade que se tornou insone e voltei para a minha casa de escritora com vista para o mar.
O Tal Canal

Paulo Abreu

O Tal Canal

Um cancro na SIC

Que audiências teria o ‘Jornal da Noite’, com Clara de Sousa ou Rodrigo Guedes de Carvalho, se não tivesse, às 19:00, um sofrível programa, como ‘Linha Aberta’, de Hernâni Carvalho?
Televisão Meu Amor

Carlos Rodrigues

Televisão Meu Amor

A novela de Bruno

Os maiores patrocinadores e as estações de televisão que apostaram milhões no certame da Rússia estão a arder com o investimento, devido à crise que afecta o clube verde-e-branco. Drama no sporting está a abafar o mundial de futebol.
Pessoas Como Nós

Margarida Rebelo Pinto

Pessoas Como Nós

Trinta mil cavalos

A adolescência da geração os filhos do 25 de Abril foi a última a dançar slow e a gravar cassetes inteiras com músicas para namorar, curtir, andar na marmelada, e claro, para dançar agarradinhos, muitas vezes em festas de garagem, com papel celofane encarnado a embrulhar os abat-jours e rondas policiais regulares de um ou dois adultos pelo perímetro para verificar se a malta não se estava a esticar. É claro que a malta se esticava, mas não era ali. Era dentro dos carros num lugar sossegado com vista para o mar, ou em casas onde os pais não estavam.
Por detrás das câmaras

Sandro Bettencourt

Por detrás das câmaras

Espanha – 1982

Até que ponto o avanço tecnológico nos faz viver com mais fervor o maior espectáculo do mundo? Tenho sobre esse assunto as maiores reservas sobretudo quando dou por mim a viajar até 1982, ano em que, pela primeira vez, vivi com intensidade a fase final de um Mundial

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável