Notícia

Exclusivo

Carrilho obrigado a enfrentar médico que empurrou e insultou

Manuel Maria Carrilho é acusado do crime de ofensa à integridade física qualificada e do de injúria agravada ao conhecido pedopsiquiatra Pedro Strecht. O antigo marido de Bárbara Guimarães deu-lhe um empurrão no corredor e insultou a mãe e a personalidade do médico.
Por João Bénard Garcia | 06 de dezembro de 2017 às 19:04

O pedopsiquiatra Pedro Strecht, 51 anos, que foi agredido pelo ex-ministro socialista da Cultura, Manuel Maria Carrilho, de 66. num corredor do Tribunal de Família e Menores de Lisboa, a 22 de janeiro de 2016, volta a enfrentar amanhã, dia 7 de dezembro, pelas 14h00, cara a cara, o seu agressor no 'campus' da justiça de Lisboa.

Manuel Maria Carrilho foi formalmente acusado em fevereiro deste ano, pelo conhecido médico especialista em psicologia infantil e adolescente, da prática de dois crimes: um de ofensa à integridade física qualificada e outro de injúria agravada.

O episódio da agressão remonta a 22 de janeiro de 2016 e aconteceu no intervalo de uma das sessões do julgamento do processo de promoção da proteção dos dois filhos menores que a apresentadora da SIC Bárbara Guimarães teve com o seu ex-marido e ex-político Manuel Maria Carrilho.

Pedro Strecht tinha elaborado, em 2014, relatórios periciais sobre o estado psicológico e também sobre a personalidade de Dinis Maria, de agora com 13 anos, cujo conteúdo não agradou ao pai do observado.

Quando, a meio do depoimento de Pedro Strecht, a juíza titular do processo decidiu fazer uma pausa na sessão, o caldo entornou.

A carregar o vídeo ...

EMPURRÃO, UM CHORRILHO DE INSULTOS E A EXPULSÃO FINAL DO TRIBUNAL

Todos os intervenientes no julgamento deslocaram-se para o corredor, mas o protagismo do momento coube inteiro a Manuel Maria Carrilho que, descontente com o testemunho do médico, o "empurrou contra a parede", injuriando-o com impropérios do estilo: "filho da mãe, "cabrão", "miserável" e "cafre", segundo consta no processo instruído pelos representantes do Ministério Público, os mesmos que conduziram o inquérito na 10.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Depois do confronto, o antigo marido de Bárbara Guimarães foi expulso da sessão de julgamento e das instalações do próprio tribunal. Depois do facto, e em declarações à imprensa, Carrilho negou a existência de qualquer episódio anormal. "Não tenho memória de qualquer episódio desse género e, como tal, desconheço qualquer acusação nesse sentido", garantiu, em declarações ao diário 'Jornal de Notícias'.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável