Notícia

Polémica

Como Maria das Dores, a socialite que mandou matar o marido, perdeu o braço

A mulher que encomendou a morte do marido, considerava que viver sem um braço lhe "estragava" a imagem de mulher perfeita, embora tivesse uma prótese ultra sofisticada. Culpava o marido de não ter um braço.
11 de janeiro de 2018 às 18:52
...
Como Maria das Dores, a socialite que mandou matar o marido, perdeu o braço
Foto: Pedro Garcia / FLASH!
Maria das Dores tinha a vida que sempre sonhara. O casamento com o empresário Paulo Pereira da Cruz permitiu-lhe deixar o emprego numa instituição bancária, tinha dinheiro para comprar roupas e acessórios de marca, viajava pelo mundo e vivia num condomínio de luxo.

Com a ajuda do filho mais velho, o excêntrico David Motta, que tinha uma boa rede de contactos entre algumas figuras públicas, Maria das Dores começou a aparecer nas revistas. Abria as portas de sua casa para mostrar o seu nível de vida abastado. Mas ainda assim, havia nesta aspirante a 'socialite', uma mágoa. 

A mulher que encomendou a morte do marido, considerava que viver sem um braço lhe "estragava" a imagem de mulher perfeita. Ainda que tivesse uma prótese ultra sofisticada, Maria das Dores nunca aceitou esta sua deficiência.

Uma deficiência que resultou de um grave acidente de viação ocorrido numa noite chuvosa no Alentejo, após um jantar de amigos. O empresário Paulo Pereira da Cruz, que ia ao volante, despistou-se. Ele saiu ileso, mas a mulher sofreu ferimentos graves tendo-lhe sido amputado o braço esquerdo. 

O trauma pós acidente terá resultado em algumas depressões, em aumento de peso e também numa mulher que acabou por usar o acidente para fazer cada vez mais exigências ao marido, nunca lhe tendo perdoado e culpando-o por ter interrompido a vida perfeita que levava antes do acidente.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável