Notícia

Polémica

Djaló despede-se da irmã que foi atropelada por engano em rixa de gangs: “Tenho de sentir que não estás mais aqui”

O jogador dedicou uma última mensagem à irmã, de 17 anos, nas redes sociais. Incrédulo com o acidente, voou de imediato da Tailândia para Portugal.
16 de setembro de 2018 às 11:46
A madrugada de sábado, 15, tornou-se um verdadeiro pesadelo para Yannick Djaló.

O jogador recebeu a notícia de que a irmã, Açucena Patrícia, de 17 anos de idade, tinha morrido vítima de um atropelamento brutal nas Festas da Moita, depois de ser atingida por um veículo e projectada contra uma parede.

Ainda descrente com toda a situação, o ex-marido de Luciana Abreu dedicou uma última mensagem à irmã nas redes sociais, onde revela toda a sua dor.

...
A última mensagem de Djaló à irmã Foto: Instagram
"Nunca me passou pela cabeça que isso fosse acontecer. Era suposto essa mensagem vir de ti e estar no teu Instagram e não no meu. Era suposto tu sentires essa dor e não eu. Era suposto que essas lágrimas fossem tuas e não minhas. Nunca quis que sofresses, mas preferia que sentisses o que estou a sentir e trocássemos de lugar, minha Açu", começou por escrever.

"Palavra nenhuma consegue descrever a dor que sinto e quão pesado está o meu coração. Minha Açu, minha menina! Ainda não consigo acreditar! Vou entrar por aquela porta e vais-me saltar para os braços. Ainda não consigo acreditar", continua.

O jogador que está a jogar pelo Ratchaburi Mitr Phol Football Club, na Tailândia, tentou concentrar todos os meios possíveis para regressar a Portugal o quanto antes para se despedir da irmã e apoiar a família.

"Tenho de te ver. Tenho de olhar para ti, para o teu rosto. Tenho de sentir de verdade que realmente não estás mais aqui", finaliza.

...
Djaló com os irmãos, João e Açucena
De acordo com o Correio da Manhã, o acidente que matou Açucena teve início depois de uma rixa entre dois gangs. Um dos agredidos entrou a conduzir em excesso de velocidade na rua fechada ao trânsito para atingir o rival, mas acabou por enganar-se no alvo.

O autor do crime acabou por ser detido pelas autoridades locais. Na manhã seguinte foi presente a um juiz do Tribunal do Barreiro que lhe decretou prisão preventiva.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Newsletter

Subscrever Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável