Notícia

Polémica

À beira da morte! O drama familiar do poderoso do Benfica acusado de 79 crimes

As acusações do Ministério Público contra Paulo Gonçalves não são o único pesadelo do assessor jurídico do clube da Luz.
06 de setembro de 2018 às 09:00
Paulo Gonçalves enfrenta acusação de 79 crimes enquanto passa por drama familiar
Paulo Gonçalves, Benfica
Filho de Paulo Gonçalves no hospital com o guarda-redes Ederson
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Paulo Gonçalves, Benfica
Os últimos meses têm sido um desafio para o poderoso da estrutura jurídica do Benfica, o assessor Paulo Gonçalves, que esta quarta-feira, 5, foi formalmente acusado pelo Ministério Público (MP) de 79 crimes, numa altura em que o filho recupera de um grave atropelamento.

Segundo o jornal 'Record', a 6 de maio de 2017, Gonçalo Gonçalves, na altura com 13 anos de idade, seguia numa bicicleta quando foi atropelado na Estrada Nacional 3, logo a seguir a uma curva no sentido Torres Novas-Santarém. 

O jovem sofreu um traumatismo craniano e outros ferimentos após o acidente e foi assistido no hospital de Santarém,mas mais tarde acabou transferido para Santa Maria, em Lisboa, onde os médicos optaram pelo coma induzido. 

Paulo Gonçalves não se manifestou na altura sobre o estado de saúde do filho. Foi Ederson, o guarda-redes do Benfica, quem mostrou que o rapaz já estava a recuperar do acidente no final de maio ao publicar uma fotografia na ferramenta InstaStories. 

Foi a única novidade sobre o jovem desde então. Paulo Gonçalves tem tentado manter o drama familiar longe dos holofotes ao mesmo tempo que enfrenta graves acusações do MP.

...
Filho de Paulo Gonçalves no hospital com o guarda-redes Ederson Foto: Cofina Media
As acusações no âmbito do processo e-toupeira de que terá de se defender em tribunal são: uma de corrupção ativa, uma de oferta ou recebimento indevido de vantagem, seis de violação de segredo de justiça e de 21 crimes de violação de segredo por funcionário, em coautoria com os arguidos Júlio Loureiro e José Silva, ambos funcionários judiciais.

O assesssor jurídico de 48 anos de idade está ainda acusado de 11 crimes de acesso indevido (em coautoria), de 11 crimes de violação do dever de sigilo (em coautoria) e 28 crimes de falsidade informática.

A acusação diz que, enquanto assessor da administração da Benfica SAD (Sociedade Anónima Desportiva), e no interesse da SAD, Paulo Gonçalves terá pedido a funcionários judiciais que lhe transmitissem informações sobre inquéritos, a troco de bilhetes, convites e 'merchandising'.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável