Notícia

Homenagem

Sexo, drogas e rock'n'roll: Morreu Bourdain, o chef rebelde apaixonado por Portugal

Viveu no limite, sem concessões. Foi a 'rockstar' do mundo da culinária, consumiu drogas pesadas, adorava os prazeres da vida e tinha uma paixão por Portugal. Bourdain pôs fim à vida aos 61 anos de idade.
08 de junho de 2018 às 14:40

Foi considerado a 'rockstar' do mundo da colinária, houve quem lhe chamasse "o Elvis entre os chefs 'maus rapazes'", o rebelde entre os chefs internacionais. Viveu no lado selvagem da vida, no limite, e foi sempre um apreciador dos prazeres da vida.

Até aos 44 anos, Anthony Bourdain foi um, relativamente desconhecido, chef na cidade de Nova Iorque. Uma vida que lhe causava tremenda angústia e o conduziu à toxicodependência, incluindo drogas duras como cocaína e heroína.

"Aos 44 anos de idade vivia nas cozinhas sem saber o que era ir dormir sem estar aterrado de medo. Estava na falência, sem fim á vista e de forma irrevogável. Não tinha seguro de vida. Não pagava os meus impostos. Não tinha dinheiro para nada. Era uma pesadelo", disse em entrevista.

Foi no livro de memórias que o haveria de catapultar para a fama, 'Kitchen Confidencial', lançado em 2000, que Bourdain falou da sua dependência por drogas. "Dificilmente uma dicisão era tomada sem drogas. Erva, quaaludes, cocaína, LSD, cogumelos alucinogénicos embebidos em mel, que usavamos para aduçar o chá, speeds, codeína e, de uma forma crescente, heroína."

Também escritor, viajou pelo mundo através de programas de gastronomia. 'Sem Reservas' e 'Anthony Bordain: Viagem ao Desconhecido' são os mais mediáticos. Conquistou alguns Emmy e recebeu o prémio Peabody.

Tornou-se numa celebridade sem nunca abandonar a essência, o lado rebelde. Ao longo de grande parte da sua vida adulta, Anthony Bordain foi sempre um grande consumidor de álcool e cigarros. Surgiu alcoolizado em muitos dos programas. Gostava de comer e de beber. Incompatibilizou-se com muitos chefes, disse mal dos vegetarianos, adorava carne de porco – chegou a acompanhar a matança do porco no norte do país, numa das primeiras visitas a Portugal.
 
Anthony Bourdain, o chef, apresentador e escritor, morreu aos 61 anos. A causa avançada para a sua morte é suicídio, segundo a CNN.

"É com grande tristeza que podemos confirmar a morte do nosso amigo e colega, Anthony Bourdain. O seu amor pela grande aventura, novos amigos, boa comida e bebida e as histórias incríveis do mundo fizeram dele um contador de histórias incrível."

O chef nova-iorquino tinha uma ligação de grande proximidade com Portugal. Fez 4 programas no nosso país. Visitou o Porto em 2002, com o programa 'A Cook’s Tour', em 2012 voltou a Portugal, desta vez a Lisboa, onde gravou um episódio para 'Sem reservas'. Nesse ano esteve também nos Açores e, em 2017, regressou ao Porto com 'Anthony Bourdain: Viagem ao Desconhecido'.

Estranhamente, uma das frases com que abria os programas faziam prever que Anthony queria mais. "Olá, sou Anthony Bourdain. Escrevo, viajo, como e tenho fome de mais."

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável