Notícia

Exclusivo FLASH!

Susana Werner: foi ela quem convenceu Júlio César a vir para o Benfica

A mulher do guarda-redes do Benfica deu uma entrevista, exclusiva à FLASH! onde falou do marido, dos filhos, da vida a dois e dos seus projetos, que passam por Portugal.
Por Inês Neves | 27 de maio de 2017 às 15:10
Susana Werner: foi ela quem convenceu Júlio César a vir para o Benfica
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner

Poucos dias depois do Benfica ter ganho o campeonato, a FLASH! marcou encontro com Susana Werner, mulher do guarda-redes das águias. Susana, de 40 anos de idade, era uma famosa atriz brasileira, que deixou a carreira e o seu país por amor. Nesta entrevista, a empresária conta que não foi fácil anular-se em prol do marido e dos filhos, mas que fez o que tinha de fazer para Júlio César apostar na sua carreira. Hoje, diz ser uma mulher feliz e realizada. Construiu o seu negócio, tem um casamento feliz há 15 anos e dois filhos "maravilhosos", Cauet, de 14 anos, e Giulia, de 11. Susana conta, ainda, que o guarda-redes do Benfica, de 37 anos de idade, é um pai "super presente" e um marido "muito romântico".

...
Susana Werner Foto: Paulo Miguel Martins

O Benfica acabou de ganhar o campeonato. Deve ter sido uma festa lá em casa...
Estamos todos muito felizes com a conquista do Júlio. Estamos aqui em Portugal por ele, pelo seu trabalho e carreira. Então, ver que tudo valeu a pena, é fantástico. Claro que festejámos, mas no dia da festa, ele foi comemorar com os amigos eu fui para a cama dormir. Não aguento [risos]. Nem fui nem para o Marquês de Pombal. Era muita gente no autocarro do Benfica. Quando o meu filho olhou para lá, disse-me logo, 'mãe não dá'. E não dava mesmo. Eu tenho fobia, pensei, como é que eu vou subir para esse autocarro super lotado com duas crianças? O Cauet disse logo: mãe, vamos para casa. E fomos, depois o Júlio ainda foi a casa, tocar de roupa e queria que eu fosse para a festa com ele. Já são 2h30, vou continuar na minha caminha, disse-lhe. Comemoramos outro dia, amor. Ele não se importou.

...
O marido de Susana, guarda-redes do Benfica

Já há pouco, antes de começarmos a entrevista, disse que também não ia muito ao estádio...
Não vou muito e cada vez vou menos. Sempre quis voltar a trabalhar e agora tenho os meus projetos, que não me deixam muito tempo para lá ir. Estou a lançar um site, tenho a loja que me ocupa muito a cabeça e entrei, recentemente, num outro projeto com o meu amigo Rodrigo Saldanha na sua tapiocaria. Em muitos dias de jogo estou a trabalhar na loja. E o Júlio não se importa. Eu adoro trabalhar, sinto-me muito útil lá. E ele também fica feliz por ver o quão realizada me sinto com os meu projetos.

Há uma ideia estereotipada que mulher de futebolista não trabalha, leva vida de 'dondoca'...
O que acontece é que nós mulheres temos de abdicar, anular um pouco a nossa vida em função da deles. Eles viajam muito e nós é que temos de estar atentas a tudo o que acontece dentro de casa. Nós é que temos de levar as crianças para cá e para lá, ir às reuniões na escola, fazer tudo. E esse trabalho é duro. O Júlio é um pai muito presente e, agora, cada vez mais. Hoje em dia, sou eu que digo: "meu Deus, o meu marido é que leva os miúdos ao médico e tudo mais. Como é que ele arranja tempo para isso?" Eu já não tenho mais tempo [risos]. Ele vai lá, joga à bola e está livre. Eu não. Eu acordo cedo e já vou para o computador resolver as coisas, corro para a loja, fecho a loja, fecho a caixa... Uma correria.

...
Susana Werner Foto: Paulo Miguel Martins

Mas nem sempre foi assim, certo? Antes de viver em Lisboa e de estar a trabalhar, era precisamente o contrário, não é?Acabamos por deixar a vida nos levar e quando nos apercebemos é do género "caramba, eu vivi esse tempo todo só para eles, para a família". Não crucifico nenhuma mulher que faça isso, porque realmente não há muita opção. E temos de dar valor a tudo até mesmo ao facto de não conseguirmos fazer outras coisas, porque estamos ali para eles. E o trabalho de mãe é duro, não é fácil ser mãe. No outro dia assisti a um vídeo em que 2 pais dizem para 2 mães: vão lá curtir o dia das mães que nós ficamos com as crianças. Mas assim que elas saem, eles ficam desesperados porque não sabem o que fazer com os filhos. Entram na net à procura de soluções para os ajudar. Aí, encontram uns óculos que os fazem ver como uma mãe. E é incrível, pois olham para a criança chorando e já sabem porque é que ela está a chorar e começam a resolver tudo. É incrível porque são dois mundos paralelos e, por mais que um pai queira ser igual a uma mãe, é muito difícil. Então não posso nunca dizer que elas, as outras mulheres, não fazem nada. A nossa vida é muito complicada. Só o facto de termos de a viver em função de outra pessoa que não nós, não é fácil.

Anulou-se por amor ao Júlio?
Anulei. E isso não é fácil. Chorei durante muito tempo porque vi-me a deixar de ser a Susana Werner, em alguns momentos, para passar a ser a mulher do Júlio César. E isso não é fácil. Mas, ao mesmo tempo, tinha muito orgulho em ser a mulher dele. É doloroso por um lado e gratificante por outro. E agora, ver que tudo deu certo, o quão incrível é e foi a carreira do Júlio, sinto muito orgulho... São 32 títulos, ele é um dos homens, ainda em atividade, que tem mais títulos no mundo.

Quando deixou a sua carreira de atriz?
Deixei o Brasil há 12 anos e foi, mais ou menos, nessa altura. Quando o Cauet tinha uns 4 ou 5 anos e a Júlia uns 2 ou 3, fui ao Brasil fazer 2 capítulos de uma novela na Record, chamada ‘Luz do Sol’. Fiquei por lá 15 dias e foi aí que disse: já não quero mais fazer novelas! Fiquei longe dos meus filhos, apavorada, o tempo passava, chovia e as minhas cenas iam sendo sempre adiadas… Quando voltei, falei para o Júlio: "Não, definitivamente não dá. Quero ficar aqui com você e não vou mais ao Brasil para fazer participações em novelas." Depois, nas novelas, tinha sempre que beijar outro homem. E, por mais que seja uma novela, o meu marido não é desse meio, não sei se ele vai gostar. Eu não gostaria de ver o meu marido beijando outra mulher. Então decidi continuar na minha vida de mãe, de mulher, e vou procurar fazer outras coisas. Comecei a estudar, a fazer cursos ligados à minha área. Em Milão fiz um curso de edição de imagem, de photoshop, de fotografia… Gostava de fazer coisas que ocupassem a minha cabeça, mas sabia que era tudo momentâneo, pois não ia estar a montar uma estrutura, começar um projeto, e amanhã vamos embora para outra cidade ou país. Aqui não, sei que ele pode ficar.

...
Susana Werner Foto: Paulo Miguel Martins

Portanto, a ideia é terminar a carreira no benfica e ficar por aqui?
Eu acho que sim. Já montei a minha empresa, a minha estrutura, as minhas ideias, o meu trabalho está todo aqui. Mas não sei, é com ele. Claro que não vou nunca modificar a trajetória do meu marido. Se ele tiver que ir para outro país, vamos. Mas a nossa casa está aqui.

Está sempre disposta a ir atrás dele…
A carreira dele é mais forte que a minha. Se é um cabo de guerra, não adianta. Você tem de deixar a corda ir para o lado do mais forte e o lado mais forte é o dele.

Queria que ele parasse já de jogar?
Não. Fui eu que o incentivei a não parar de jogar. Quando ele mais quis parar, na altura estávamos em Londres, eu disse-lhe: "Não, você não vai fazer isso. Se há dois meses não dizias isso, como é que de repente você não quer mais jogar? Tem alguma coisa de errado." Então, fui trabalhando um pouco no psicológico dele: "Pelos seus filhos, pela sua família, você não vai fazer isso. Imagina que, da noite para o dia, temos de voltar para o Brasil, arranjar escola, casa, teremos de nos movimentar por inteiro." Convenci-o a ouvir a proposta do Benfica antes de tomar qualquer decisão. Então, viemos, fomos jantar com o presidente e o clima foi maravilhoso. Levou-nos ao estádio e ficámos encantados com a cidade, com tudo, com as pessoas. E ficámos.

E já cá estão há quase 3 anos…
Há dois anos e meio.

Agora mais feliz e realizada?
Estou mesmo. Olho para a minha familia e fico emocionada porque somos uma familia de sucesso. Tenho orgulho de ter construído a família que contruí, de ver tudo dar certo, emocionalmente e financeiramente. Estamos juntos há 16 anos e casados há 15. Existe uma harmonia e união muito grande entre nós.

...
Susana Werner Foto: Paulo Miguel Martins

O que a apaixonou no Júlio?
Acho que o jeito dele. O Júlio é muito brincalhão, não tem filtro, fala o que pensa. Nossa, às vezes, tenho de lhe dizer xiu. Ele é um meninão grande. E as pessoas encantam-se com ele por isso. Fazia imensas piadas comigo, era muito sorridente. E ainda é. Ele brinca muito com as crianças em casa. O humor vem todo dele, eu estou sempre preocupada com as coisas e ele sempre brincando.

Estou a ver que é um pai muito divertido...
É mesmo. As crianças amam estar com ele. Acho que quase toda a mãe é mais chata. Eu me sinto chata às vezes. Não queria ser assim, queria ser igual ao pai, jogar para o alto e toma, agora o trabalho é seu. Mas faz parte. A mãe tem de ser aquele ombro amigo mais centrado, que fala as verdades, que impõe a regra. Mas o Júlio é bem rígido, bem mais do que eu. Ele até diz que eu sou o capuchinho vermelho e ele o lobo mau. Há coisas que não consigo fazer mesmo, não consigo dar uma palmada, por exemplo. Eu digo, olha que eu vou te pegar se você não fizer o que estou a dizer, mas eles riem da minha cara. Não tenho moral nenhuma, pois eles sabem que eu não vou dar palmada. Não tenho esse pulso firme, peco muito nesse sentido. Júlio sabe colocar na linha, só de olhar, ui.

A carregar o vídeo ...

E como é o Júlio como marido?
Ele chega em casa e diz: "Hoje sou eu que vou cozinhar para nós." Abre o tablet e pergunta: "O que é que você quer comer, amor? E qual é a sobremesa que quer que eu prepare?" Ele faz sobremesas divinais. Eu, se tento fazer, não sai igual. Ele tem um grande dom para a cozinha, sai à mãe dele. Depois, é muito romântico, oferece-me flores, manda mensagens, nos dias especiais como namorados, casamento, aniversarios, lembra-se sempre. Mas no início não era, agora é bem romântico.

Em relação aos seus projetos, disse-me que ele não se mete em nada. Não interfere mesmo? Não ajuda?
Ele não se mete, mesmo, nos meus negócios, em nada do que eu faço. Foi muito poucas vezes à loja, por exemplo. Quando lhe disse que ia abrir a loja, ele ficou: vamos ver o que essa menina está aprontando, vamos ver se ela vai conseguir se dar bem. E aí eu falei que ele podia ficar neutro, que eu vou devagarinho, mas chego lá.

Agora deve estar super orgulhoso de si...
Ele está muito orgulhoso, sim, porque eu consegui por mim, sem a sua ajuda. O Júlio só procura saber se estou bem e se as coisas estão indo bem. Uma vez, perguntou sobre os gastos. Eu e o Júlio temos uma relação muito pés no chão em relação a dinheiro. Eu tenho um valor X para gastar por mês, toda a minha vida foi assim. Então desse valor, eu tive de fazer tudo. Ou gastava comigo e com os meus filhos ou com a loja. E foi muito bom ter esse X pois tive de aprender a gerir o dinheiro. Era um dinheiro que eu tinha para mim, para gastar comigo ou economizar. E hoje vejo: nossa, olha tudo o que eu estou conseguindo fazer com esse dinheiro. E ele tem orgulho nisso. Diz-me: "Está vendo, aquele dinheiro que eu te dava, que era só teu, olha tanta coisa que você conseguiu fazer e construir."  

A sensualidade de Susana Werner
Na praia, no Rio de Janeiro
Susana Werner
Há 20 anos, na série 'Malhação' ao lado de Thaís Araújo e Luana Piovani
Com Lisboa em fundo
Susana e Júlio na Praça do Comércio
Susana Werner
A paixão no estádio da Luz
Em momentos românticos com o marido em Portugal
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner
Susana Werner


Fotos: Paulo Miguel Martins
Styling: Pedro Leitão
Maquilhagem e cabelos: Lígia Bento
Susana Werner foi fotografada no Petit Palais by Olivier, em Lisboa e vestida por Queens Life Boutique e Aldo.

Mulheres dos jogadores festejam vitória
O guarda-redes Júlio César com a mulher, Susana Werner, e os filhos Cauet e Giulia
Brenda Mattar, mulher do capitão benfiquista Luisão
A mulher de Luisão segura a taça da vitória
Melina Fernandes (mulher de Jonas), Ravenna Nogueira (mulher de F. Augusto), Gabriela Rosa Vieira (mulher de Jardel), Brenda Mattar (mulher de Luisão) e Lais Moraes (mulher de Ederson)
Maja Nilsson, mulher de Victor Lindelöf
Maja Nilsson, mulher de Victor Lindelöf, no Estádio da Luz com uns amigos
O jogador Lujbomir Fejsa com a mulher, Suzana, e o filho, Mateo
O jogador Lujbomir Fejsa com a mulher, Suzana, e o filho, Mateo, junto da taça do título
O jogador Lujbomir Fejsa com a mulher, Suzana, e o filho, Mateo
O jogador Lujbomir Fejsa com o filho, Mateo
Suzana Fejsa com o filho, Mateo, no camarote no Estádio da Luz
Suzana Fejsa com o filho, Mateo, no camarote no Estádio da Luz
Suzana Fejsa com o filho, Mateo, no camarote no Estádio da Luz
Ravenna Nogueira, mulher de Filipe Augusto, com Brenda Mattar
Ravenna Nogueira, mulher de Filipe Augusto
Ravenna Nogueira, mulher de Filipe Augusto, com a filha de ambos, Sophia
Ravenna Nogueira, mulher de Filipe Augusto
Gabriela Rosa Vieira, mulher de Jardel
Gabriela Rosa Vieira, mulher de Jardel, com o filho de ambos, Francisco
susana werner
brenda mattar luisão
brenda mattar luisão
benfica
Maja Nilsson victor lindelof
Maja Nilsson, mulher de Victor Lindelöf
susana fejsa
susana fejsa
susana fejsa
O jogador Lujbomir Fejsa com a mulher, Suzana, e o filho, Mateo
O jogador Lujbomir Fejsa com a mulher, Suzana, e o filho, Mateo
susana fejsa
susana fejsa
benfica ravenna augusto
ravenna augusto benfica
ravenna augusto benfica
ravenna augusto benfica
Gabriela Rosa Vieira benfica
Gabriela Rosa Vieira benfica

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável