Notícia

Polémica

Melania Trump em guerra com enteada Ivanka

A mulher de Donald Trump, que não quis ir viver para a Casa Branca, tenta ocupar agora o lugar de primeira-dama, que estava a ser roubado pela enteada Ivanka. Para além disso, Melania é pressionada para deixar Nova Iorque por causa dos custos milionários com a segurança.
Por Raquel Santos | 31 de março de 2017 às 00:06
Melania Trump em guerra com Ivanka Trump
Melania Trump e a enteada Ivanka
Melania, a primeira dama dos EUA, mas está a ser aconselhada a divorciar-se do marido
Donald Trump e Melania Trump
Donald Trump e Melania Trump
Melania na sua luta pelos problemas femininos
Ivanka Trump e Angela Merkel em evento oficial
Donal Trump, Ivanka e o primeiro ministro canadiano. Verifica-se que Ivanka está sentada na cadeira do presidente, na sala oval
Donald Trump
Ivanka Trump
Melania e Ivanka
Donald Trump e Melania Trump
Donald Trump e Melania Trump
Donald Trump e Melania Trump
Melania Trump
Ivanka Trump Angela Merkel
Ivanka Trump
Donald Trump
Ivanka Trump

Melania Trump, mulher de Donald, de 46 anos, recusou-se a mudar-se para a Casa Branca, quando o marido assumiu a presidência dos Estados Unidos da América. O facto deveu-se a esta querer jogar pelos interesses do filho do casal, Baron, de 10 anos, que deveria continuar a frequentar o colégio, em Nova Iorque, atual residência de Baron e Melania, mais propriamente na Tower Trump.

Com a primeira-dama afastada, é a filha mais velha de Donald Trump, Ivanka, de 35 anos de idade, quem tem assumido o cargo e Ivanka adora ter os holofotes da fama sobre si. Ainda que Ivanka tenha dito, na altura da tomada de posse do pai, que não tinha qualquer interesse em trabalhar na Casa Branca, a verdade é que assumiu esta quarta-feira, dia 29, o cargo oficial de assistente não remunerada do pai, juntando-se ao marido, Jared Kushner, também neste papel.

A primogénita de Trump realizou vários encontros de sensibilização para os problemas femininos, e a importância de Ivanka na administração Trump ficou ainda mais vincada quando partilhou uma fotografia nas redes sociais ao lado do pai e do primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, com a descrição: "Uma óptima discussão com os líderes mundiais, sobre a importância das mulheres poderem sentar-se à mesa".

Com a distância, Donald Trump e Melania vivem um casamento em crise e a opinião pública norte-americana tem pressionado a mulher do presidente a mudar-se para a Casa Branca e assumir em definitivo o cargo de primeira-dama. Uma das razões que mais leva os norte-americanos a quererem Melania na Casa Branca são os custos exorbitantes com a segurança da mulher de Trump, em Nova Iorque.

A proteção da mulher e do filho de Donald Trump custam entre 120 mil e 146 mil dólares diários à polícia de Nova Iorque. Há já uma petição para obrigar Melania a pagar os custos da sua segurança, com mais de 250 mil assinaturas.

Independentemente dos esforços da filha de Donald para se impôr na Casa Branca e ocupar o cargo de primeira-dama, a madrasta vai tomando posição para não ser celindrada pela enteada. A própria Melania tem organizado encontros com mulheres, moderando debates sobre problemas que afetam o sexo femino, uma forma de retirar algum do protagonismo a Ivanka. Nesta quarta-feira, 29, Melania presidiu a uma entrega de prémios a mulheres coragem, na Casa Branca, sinal que quer estar mais presente e assumir, finalmente, o papel de primeira-dama.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável