Notícia

Nacional

Cancro da mama. Marco Paulo quebra o silêncio: "Sofro muito quando estou doente"

Cantor revela novos pormenores sobre o cancro que obrigou a nova operação, 20 anos depois de ter tido um cancro no cólon.
18 de fevereiro de 2020 às 14:54
Marco Paulo: Um homem de fé
Marco Paulo de visita ao Santuário de Fátima
Marco Paulo no Santuário de Fátima
Em Fátima, Marco Paulo foi cumprimentado pelos fãs
Marco Paulo em Fátima
Como homem de fé, Marco Paulo visita com frequência o Santuário de Fátima
Marco Paulo e Aurora Cunha em Fátima
Marco paulo, fé
Marco Paulo
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Marco paulo, fé
Um dia depois de ter sido revelado que Marco Paulo estava outra vez doente com cancro, o cantor de 75 anos quebrou o silêncio.

Emocionado, contou pormenores sobre o cancro da mama que o obrigou a nova operação, 20 anos depois de ter tido um grave cancro do cólon.

"Sei que as pessoas não gostavam que sofresse tanto, mas eu sofro muito quando estou doente. Quando estou doente penso logo que não vou poder voltar a cantar", desabafou o artista de 75 anos. "As minhas lágrimas não são de coitadinho, mas custa, custa muito. Custa-me pensar que estou a passar por um momento tão grave na minha vida", disse o cantor em entrevista em direto à TVI.

"Não foi fácil, estas notícias nunca são fáceis, mas é mais uma luta que tenho de travar e tento agora superar o melhor possível".

E como soube que estava doente: " A doutora perguntou-me se tinha algum problema no peito, apalpou-me os peitos, e quando me apalpou o do lado direito, viu que algo não estava bem. No dia dos meus anos fui operado, retiraram-me o peito direito pela axila. Foram três horas e rapidamente resolveram a situação".

"Queria passar por este problema discretamente. Mas eu sou humano e só eu é que sei o que estou a atravessar neste momento e peço que não me deixem ir abaixo", disse, emocionado. 


"Vou continuar a sorrir para a vida, e pela minha fé. Eu queria ter a alegria de poder transmitir aos outros que pode haver uma recuperação, um resultado como houve pela primeira vez há vinte anos atrás", disse ainda.

"Vou lutar com todas as minhas forças, para corresponder ao que os médicos me dizem para fazer", garantiu, assegurando que ainda tem 6 sessões de quimioterapia para fazer.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;