Notícia

Revelações

Cavaco Silva elogia a mulher em livro e faz revelações íntimas

"Sem ela não teria sido, nem teria chegado onde cheguei". Foi desta forma que o antigo Presidente falou da mulher da sua vida no dia do lançamento do seu livro. Nas suas páginas também não se cansa de elogiar a cara-metade e faz revelações íntimas da vida do casal.
Por João Bénard Garcia | 17 de fevereiro de 2017 às 00:03
A carregar o vídeo ...

O antigo Presidente Aníbal Cavaco Silva, de 77 anos de idade, derreteu-se em elogios à mulher, Maria Alves da Silva Cavaco Silva, de 78 anos de idade, durante a apresentação, esta tarde, dia 16, pelas 19 horas, no Centro Cultural de Belém (CCB), do seu mais recente livro ‘Quinta-Feira e Outros Dias’, com chancela da Porto Editora. No obra, Cavaco Silva reforçou as palavras proferidas perante uma plateia composta por alguns dos seus ex-ministros e por centenas de admiradores, agradecendo à sua cara-metade o muito que fez por ele, enquanto homem e enquanto político, ao longo dos 53 anos de casamento e dos mais de vinte anos de vida pública.

"O meu casamento, em outubro de 1963, foi a decisão mais importante e acertada que tomei ao longo da minha vida. Sem a minha mulher não teria chegado onde cheguei (…) mulher inteligente, culta e bonita. Em jovem eram muitos os que a consideravam parecida com a atriz Andrey Hepburn", elogiou o ex-Presidente.

Dois dias depois do Dia dos Namorados, Cavaco Silva mostra o quão apaixonado está pela sua Maria. "À medida que os anos foram passando, ganhei a certeza de que era amor para a vida. Completamo-nos um ao outro. Ela mais expansiva e dada às letras e à cultura. Eu mais reservado e racional e dado aos números e à economia", provas de amor e de uma paixão com a qual até os filhos brincam: "a nossa vida tem sido vivida a dois, com muito poucos momentos de separação. O que não gerou qualquer cansaço e, pelo contrário, nos aproximou ainda mais. Os nossos filhos costumam dizer: onde está um, está o outro. Têm toda a razão", rematou.

Cavaco Silva gaba-se mesmo no seu novo livro de ter dormido 99% das noites ao lado do amor da sua vida. "Ao longo de 53 anos de casados e apesar de eu ter tido uma vida profissional muito movimentada, foram poucas as noites – menos de um por cento – em que não dormimos juntos na mesma cama. Mesmo no tempo em que exerci funções públicas fomos capazes de preservar os nossos momentos de privacidade", esclareceu.

MARIA NÃO SE METIA NAS DECISÕES DELE

O ex-Presidente assegurou ainda no livro que a mulher da sua vida nunca o influenciou nas decisões políticas que tomou, apesar dos rumores do contrário que por várias vezes vieram a público durante os dez anos no Palácio de São Bento e dos dez anos seguintes no Palácio de Belém.

"Desempenhou as funções que cabiam à mulher do Presidente – não gostava da designação de ‘primeira-dama’ – com dignidade, eficiência e sentido de dever. Nunca procurou influenciar as minhas decisões, nem intrometer-se no funcionamento das Casas Civil e Militar da Presidência da República", revela Cavaco aos leitores que agora, com este ‘Quinta-Feira e Outros Dias’, terão 577 páginas de vida política íntima vivida nos salões de Belém para devorar.

Debaixo do braço levaram ontem para casa o primeiro livro das intervenções de Cavaco Silva - no período em que se assumiu "retirado da vida política" - figuras públicas como Pedro Passos Coelho, Assunção Cristas, Manuela e António Ramalho Eanes, Leonor Beleza, João de Deus Pinheiro, Teresa Patrício Gouveia, Maria Luís Albuquerque, António Bagão Félix. Fernando Negrão, Diogo Feio, Adolfo Mesquita Nunes, o comentador Nuno Rogeiro ou o gestor Mário Assis Ferreira, entre muitos outros.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável