Notícia

Nacional

Família de Yannick recebe 80 mil euros! Autor da morte da irmã de Djaló foi condenado a 16 anos de prisão

Abel Fragoso investiu contra grupo de seis pessoas nas festas da Moita. Irmã de Yannick Djaló não resistiu aos ferimentos.
21 de janeiro de 2020 às 11:24
A carregar o vídeo ...
O condutor acusado do atropelamento mortal de Açucena Patrícia, irmã mais nova de Yannick Djaló, nas Festas da Moita, em setembro de 2018, foi condenado a 16 anos de prisão, esta terça-feira. O jogador de futebol vai ainda receber uma indemnização que ronda os 80 mil euros, pela morte da jovem.

Na leitura do acórdão, o coletivo de juízes deu como provados os factos da acusação, condenando Abel Fragoso, de 22 anos, a 16 anos de prisão por um homicídio qualificado consumado e 11 homicídios na forma tentada (tentativa de homicídio), além de uma pena acessória de inibição de conduzir por quatro anos.

Na visão da juíza, o arguido não atuou por negligência, ao contrário do que apontou em sede de julgamento, mas "por ter o orgulho ferido por ter sido agredido ao pé de tanta gente".

As imagens de dor e consternação do último adeus à irmã de Djaló
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita
Açucena patrícia, Yannick Djaló, acidente, carro, morte, funeral, moita

O caso remonta a 15 de setembro de 2018, quando Abel Fragoso embateu num grupo de seis pessoas numa rua fechada ao trânsito, nas Festas da Nossa Senhora da Boa Viagem, na Moita (Setúbal), tendo provocado a morte de Açucena Patrícia e ferimentos em outras cinco pessoas, que receberam tratamento hospitalar.

O julgamento iniciou-se em 14 de outubro e ficou marcado pela apresentação de "três versões" por parte do arguido, apesar de o MP ter considerado que a declaração dada em primeiro interrogatório foi a que teve "mais credibilidade" porque foi a "mais espontânea e sem interferência de terceiros".

No primeiro interrogatório judicial, o arguido tinha admitido que perdeu a cabeça depois de ter sido "agredido muitas vezes", mas mudou esta versão na primeira sessão do julgamento, afirmando que o incidente se deveu à "falta de experiência", porque só tinha carta há dois meses.

No entanto, segundo o MP, os testemunhos das vítimas neste incidente comprovaram os factos da acusação, nomeadamente "o percurso feito pelo veículo" na rua fechada ao trânsito e que, momentos antes, Abel Fragoso tinha estado envolvido numa briga no local do atropelamento, na Travessa do Açougue.

A defesa do arguido tinha apontado que a existência de areia no pavimento, devido às largadas de touros, poderia ter causado a perda de controlo da viatura, contudo, a procuradora sublinhou que "não consta qualquer referência sobre a existência de areia no pavimento".

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
Emma Silva Há 4 semanas

GetMeets.com - um ótimo projeto para adultos que procuram um parceiro para sexo

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;