Notícia

Entrevista exclusiva

Helena Costa:"Lido bem com o meu lado Maria Rapaz"

Atriz de 34 revela que está solteira mas relata aventura emocionante com o ex-namorado à Rússia, no verão.
03 de janeiro de 2017 às 19:43
Alta velocidade no Guincho
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
Helena Costa
"Aos 11 anos chamavam-me Maria Patins porque ia de patins para a escola, aos 12 anos Maria Bicicleta porque não largava a bicicleta, eu adorava, na verdade também sou Maria… Aos 14 tirei um curso de manequim com a finalidade de um dia entrar no mundo da representação! Aos 15 já andava de mota para todo o lado e já viajava como modelo pelo mundo fora! Sempre lidei bem com o meu lado maria rapaz, tinha orgulho porque foi contraditório, tanto estudei a vertente de desporto na escola, como pisei as passarelas da ModaLisboa", é com estas palavras e mais alguma prosa que Helena Costa se apresenta a todos os que visitam o seu site – misshelen.pt. Um lugar onde a atriz de 34 anos promete falar das suas aventuras, dos seus objetivos, de coisas que fez e dos seus interesses. Nomeadamente a viagem à Rússia que fez de mota, na companhia do ex-namorado, Luís Matos Cunha, no verão. Uma aventura que a fez voltar a uma paixão antiga – as motas. Foi numa 1200 de cilindrada que viajou para leste, e foi também com uma mota da mesma cilindrada que fotografou no Guincho para a FLASH!.

Como é que surge esta paixão pelas motas?
Começou aos 14 anos, quando herdei a mota da minha irmã mais velha – são seis anos de diferença – e fiquei com a mota até aos 18 anos até ter carta de carro, mas depois assim que tive carro nunca mais tive mota. Esta oportunidade de ir à Rússia de mota despertou outra vez o meu interesse pelas motas e agora estou a voltar a andar de mota. Quer dizer estou a aprender a voltar a andar de mota e a paixão é cada vez maior.

Como surgiu a ideia de fazer a viagem à Rússia?
Esta viagem surgiu de um acaso. A minha mãe vive em Paris, a mota pôde ficar em Paris e começámos a planear uma viagem onde arrancássemos de Paris, era para irmos visitar o Norte da Europa, mas começámos a ficar mais ambiciosos e estabelecemos a meta da Rússia. Foi assim.

E dividiram a condução?
Não. Quero chegar a esse nível de condução de mota. Vamos ver se consigo. Estou com uma 125 cc e a outra é uma 1200 cc. E faz muita diferença em termos de peso e de destreza, em termos de condução. Aguentar o peso dela, segurar a mota é o mais difícil.

E a mota onde viajaram é sua ou dele?
Viajámos até à Rússia só numa mota e a mota é dele mas preferia não falar dele. Já não somos namorados.

Deixando então as motas e passando à representação. Está a preparar algum projeto novo?
Para já ainda é muito precoce falar em alguma coisa mas estou também dedicada ao meu site. Finalmente!.

E em misshelen.pt fala de quê?
Lá falo um bocadinho das minhas aventuras, das motas, da linha de fitness que lancei recentemente, das bicicletas, deste meu lado mais aventureiro. Dos meus objetivos, de algumas coisas que fiz, de alguns interesses.

E da representação não tem saudades?
Tenho muitas! Estive a fazer a peça ‘Plaza Suite’ com a Alexandra Lencastre e o Diogo Infante quase durante um ano, fiz a novela ‘Santa Bárbara’, e estou com saudades. Gostava muito de voltar à representação.

E à apresentação não gostava de voltar?
Não é muito a minha área. Quando tive essa experiência na altura também estava a correr com os automóveis e sugeriram-me apresentar um programa de automóveis. Adorei porque tinha a ver com as áreas da corrida, do desporto, é como isto das motas. Mas agora não é o meu objetivo, nunca foi. Eu gosto é de representar.

Imagina-se a tornar este gosto pelas motas num desafio mais sério?
Sim, sim. Tenho já imensas viagens estipuladas na cabeça. Quero muito ir à Islândia, fazer a Islândia sozinha de mota, mas só posso ir no verão porque agora a temperatura é muito agreste e há muito vento. Gostava de fazer a América do Sul, ir do Atlântico ao Pacífico.

Sempre sozinha?
Sim! Sozinha na condução da mota, mas com uma equipa para fotografar ou filmar a aventura. Tenho esses objetivos, acho que é giro e vou começar por conhecer melhor Portugal. Quero andar de mota e dar a conhecer cada cidade, explorar cada cidade. Também serve de treino e vai servir de salto para aventuras maiores.

A sua mãe vive há muito tempo em Paris?
Há cerca de dez anos.

E as saudades?
Viajamos muito. Ela para cá, eu para lá. Já estamos habituadas.

E a sua irmã?
É quase minha vizinha. Tenho a minha irmã, os meus sobrinhos, o meu cunhado.

Para quando a próxima viagem e para onde?
Será para breve a uma cidade portuguesa.

Já não trabalha como manequim?
Não! Lancei esta linha de fitness ‘Morena Jambo by Helena Costa’. Desenhei dez peças de roupa de desporto e estou muito entusiasmada com isso.

Como surgiu a oportunidade?
Surgiu porque quiseram que eu fizesse o catálogo deles, e eu disse ok. E desafiaram-me para fazer umas peças também e eu achei muito giro e aceitei de imediato e agora vou promover isso também.

E é para continuar a colaboração?
Acho que sim, porque despertou em mim um bichinho antigo. Já queria há muito ter uma linha não de roupa, era de outras coisas, mas isto também é parecido. Faço desporto todos os dias e então é juntar o útil ao agradável.

Que cuidados tem, o que faz para se manter em forma? Com que frequência treina? Que tipo de exercícios faz?
Tento jogar basquete quando há equipa às segundas feiras, faço bicicleta mais ou menos 20 quilómetros de três em três dias e vou todos os dias ao ginásio, só às vezes ao domingo é que não vou.

E no ginásio quanto tempo e o que faz?
Faço o que me apetecer. Normalmente estou 1h30 no ginásio.

E quando falha o treino como se sente? Ou cumpre religiosamente?
Sinto algum peso na consciência mas já não sinto tanto porque isto já é tão constante há tanto tempo que posso falhar dois ou três dias seguidos que não faz mal.

A par com o exercício também são muitos os cuidados com a alimentação?
Sim, sempre. Estou a tentar evitar o glúten. Já cortei nos açúcares, nos refrigerantes e estou a evitar o trigo. Sempre tive cuidados com a forma como cozinho os alimentos, nunca como muitos fritos, uso óleo de coco. É natural para mim ter estes cuidados

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;