Notícia

Polémica

IKEA responde às acusações de racismo do namorado de Rita Pereira

Guillaume Lalung denunciou a história de Fábio Silva e acusou o IKEA de discriminação racial. "É triste", atirou. Agora, a loja de móveis e decoração reage à polémica.
Por Joana Guterres | 08 de julho de 2020 às 10:03
Assim está o namorado de Rita Pereira depois do transplante capilar
Guillaume Lalung já publicou imagens do resultado da cirurgia. O namorado de Rita Pereira fez um implante capilar.
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung
Guillaume Lalung, o namorado de Rita Pereira, denunciou um caso de alegado racismo por parte do IKEA. O relações-públicas deu a conhecer a história de Fábio Silva e apresentou a sua opinião.

"Em 2020 ainda há pessoas que pensam que um negro não pode ter um cartão multibanco para comprar uma cozinha do Ikea. A estas pessoas eu chamo racistas", começou por escrever.

"Para resumir: O Ikea não quis aceitar o dinheiro dele. O Fábio Silva teve, não só de comprovar que o dinheiro era dele, como que já tinha gasto mais de 7.000 euros neste estabelecimento. Ainda assim a polícia deu razão ao Ikea e exigiu o pagamento em dinheiro. Tudo isto porque a pessoa envolvida é negra, está de chapéu e o valor a pagar é elevado. O normal seria que a polícia obrigasse o Ikea a aceitar o pagamento. As pessoas que, em nome da polícia, concordam com este tipo de atitudes, então aceitaram o racismo. Infelizmente o Fábio é um caso em milhões. Eu tenho muita história pessoal assim. É triste", acrescentou.

View this post on Instagram

A post shared by Fabio Silva (@fabiogalatico) on



Agora, o IKEA respondeu publicamente às acusações, negando qualquer atitude racista.

"Na IKEA, não toleramos qualquer tipo de discriminação. Acreditamos que a diversidade nos torna melhores e que todos devem ser tratados com igualdade e justiça. Sempre", pode ler-se no comunicado oficial, publicado na página de Instagram da loja de móveis e decoração.

Leia o comunicado completo:

View this post on Instagram

Na IKEA, assumimos sempre os nossos erros de forma transparente. São eles que nos ajudam a crescer e a fazer melhor da próxima vez. Mas também temos muito orgulho no que defendemos enquanto marca e nas pessoas que todos os dias trabalham para tornar os nossos valores realidade. Na IKEA, não toleramos qualquer tipo de discriminação. Acreditamos que a diversidade nos torna melhores e que todos devem ser tratados com igualdade e justiça. Sempre. O caso relatado nada tem que ver com racismo ou discriminação. Foi motivado por uma questão técnica associada ao meio de pagamento utilizado, que por sua vez não permitia a utilização de código PIN e que não continha qualquer tipo de identificação. A confirmação do pagamento mediante aposição de assinatura pressupõe sempre a verificação da mesma através de um documento de identificação onde também conste essa mesma assinatura. Este procedimento visa proteger não só a IKEA, como todos os nossos clientes. Acontecimentos isolados, relatados parcialmente ou sem contexto, não podem ser deturpados ou extrapolados, lesando o que somos e defendemos enquanto empresa e pondo em causa a integridade dos nossos colaboradores. Estamos sempre disponíveis para o diálogo, e para esclarecer esta situação em particular, mantendo o compromisso de dar o nosso melhor todos os dias, para que a nossa casa seja a casa de todos.

A post shared by IKEA Portugal (@ikeaportugal) on

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!
Luna Santos Há 1 semana

Quer encontrar uma garota por uma noite? Bem-vindo - http://3sex.club

Anónimo Há 4 semanas

Kkkkkkkk. O IKEA mente descaradamente! Não foi nada por ausência de identificação. Essa ausência, pressuporia ( e legitimamente) poder tratar-se de uma fraude. Atentem que quem denunciou o facto à polícia não foi o IKEA. Foi o lesado. E fê-lo porque ele identificou-se, provando ser o titular.

Anónimo Há 13 horas

Mais uma abentesma a querer protagonismo é gente como esta que cria confusão para depois se lamentarem ora as leis e normas são para cumprir, se está mal só tem de se mudar.

Anónimo Há 18 horas

Conversa de quem quer protagonismo. É claramente uma conversa tóxica. No IKEA passam todos os dias milhares de brancos e pretos, sem qualquer problema.

ver mais comentários

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;