Notícia

Óbito

Morreu Tozé Martinho

O ator e autor das novelas com as melhores audiências na TVI morreu hoje, aos 72 anos, no Hospital de Cascais, devido a uma paragem cardiorrespiratória. Colegas e Marcelo Rebelo de Sousa prestam-lhe homenagem.
16 de fevereiro de 2020 às 18:31
Recorde momentos da carreira de Tozé Martinho
Telenovela da RTP " Roseira Brava"
Tozé Martinho em 'Amanhecer'
Telenovela 'Todo o Tempo do Mundo'
A Mãe Tareka e Tozé Martinho para a telenovela 'Palavras Cruzadas'
Tozé Martinho
Conversas sobre a telenovela 'Palavras Cruzadas'
Entrevista e imagens do ator Tozé Martinho e Helena Laureano na Ilha do Príncipe para a rubrica Escapadas da revista Domingo CM
Gravações da telenovela 'Vila Faia'. Nicolau Breyner; Carlos César; Tozé Martinho
Peça de teatro 'Cucurrucucu', com Jorge Sequerra, Paula Marcelo, Maria Luís, Daniel Garcia, Carla Janeiro e com Tozé Martinho na direção, no Centro Cultural de Lagos
Gala do 20.º aniversário do canal de televisão TVI, no Centro Cultural de Belém CCB, em Lisboa. 2013
Cerimónia de atribuição dos prémios Áquila, que destaca produções e atores portugueses, na área do cinema e televisão, no Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. 2015
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho
Tozé Martinho, de 72 anos de idade, morreu domingo, dia 16, no Hospital de Cascais, devido a uma paragem cardiorrespiratória. 

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recorda o artista numa mensagem no site da presidência: 
"Desde 1977 que Tozé Martinho era conhecido dos portugueses, data em que se estreou no célebre programa 'A Visita da Cornélia', em companhia de sua mãe, a atriz Maria Teresa Ramalho (Tareka).

Cinco anos depois, estreou-se como ator em 'Vila Faia', a primeira telenovela portuguesa, e nas décadas seguintes tornou-se num dos atores e guionistas portugueses mais ativos, em novelas da RTP e da TVI, além de séries, telefilmes e algum cinema. Durante todos esses anos esteve presente no nosso imaginário pelos recorrentes papéis de personagens empáticas, decentes, confiáveis. No momento em que nos deixa, precocemente, apresento à sua família os meus sentidos pêsames."


"Dia triste", começa por dizer ao site Flash! André Cerqueira, realizador, antigo diretor de ficção da Plural e de Programas da TVI, acrescentando: "Perdemos o homem que iniciou isto tudo. Tem muitos méritos por toda a ficção feita neste país. A novela 'Dei-te Quase Tudo', da sua autoria e realizada por mim, continua a ser aquela que teve as maiores audiências. Os meus sentimentos à família. Vai fazer falta como pessoa. Adeus, amigo. Vá com Deus." 

Em comunicado, a TVI chama-lhe "pioneiro da indústria das novelas portuguesas" e agradece a sua longa carreira, que inspirou os guionistas nacionais, abrindo portas para uma atividade que hoje mobiliza centenas de pessoas. "Deixa saudades a todos com quem se cruzou durante décadas."  

Chegada de Andorra, onde gozou um curto período de férias, Bárbara Norton de Matos estreou-se como atriz com Tozé Martinho, em 'Nunca Digas Adeus'. "Fez de meu pai e apostou muito em mim. As minhas condolências à família." Também Sílvia Rizzo deixa elogios ao colega: "Sabia que não estava bem... Fez parte do meu percurso e estou muito triste com a notícia da sua morte."  

Francisco Moita Flores está em choque com a notícia da morte de Tozé Martinho, em declarações ao site Flash!. "É uma figura incontornável da televisão. Foi fundamental para a afirmação da ficção portuguesa. Não esperava por esta triste notícia."

António Barreira, outro autor de novelas, trabalhou com Tozé Martinho: "Encontrei-o não há muito tempo. Estava debilitado. Queria voltar a escrever, mas tinha as portas fechadas. Uma lástima, para quem tanto deu à ficção nacional. Descansa em paz, Tozé", escreveu o alentejano no Facebook.

Recorde-se que Tozé Martinho sofreu um AVC em 2014 e, mais recentemente, em novembro de 2019, fraturou o colo do fémur, que o levou a ser operado.

A carreira profissional de Tozé Martinho como ator começa em 'Vila Faia', a primeira novela portuguesa, em 1982. Como guionista foi autor de 'Roseira Brava' (1995), 'Vidas de Sal' (1996), 'A Grande Aposta' (1997), 'Todo o Tempo do Mundo' (1999), 'Olhos de Água' (2001), 'Amanhecer' (2002), 'Dei-te Quase Tudo' (2005), 'A Outra' (2008) – produções onde também representou.

Foi director de produção na sociedade Atlântida Estúdios, durante 15 anos, e director de programas durante dois anos, da RTP/USA, em Newark, estação americana dependente do canal público, que produz conteúdos para a comunidade portuguesa. Licenciado em Direito, foi docente da Universidade Moderna de Lisboa, onde coordenou o Curso Livre de Formação de Actores e regeu as disciplinas de Guionismo e Técnica de Televisão e Cinema.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Saber mais sobre

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;