Notícia

Crime

Rosa Grilo acusa marido assassinado de traição e garante que filho acredita na sua inocência

Acusada de ter matado o marido, Rosa Grilo descreve rotinas na prisão e revela pormenores surpreendentes das relações com o ex-marido, com o amante e com o filho.
14 de novembro de 2018 às 11:53
Rosa Grilo foi presa por ser suspeita da morte do marido, o triatleta Luís Grilo
Rosa e Luís eram felizes e tinham um casamento perfeito, assegura a irmã do triatleta, Júlia Grilo
Luís Miguel Grilo
Rosa Grilo, viúva do triatleta
Luís Miguel Grilo tinha 50 anos
Corpo de Luís Miguel Grilo foi encontrado, por acaso, num local ermo, no meio de vegetação. Polícia Judiciária tenta esclarecer as circunstâncias da morte
Rosa Grilo, à saída da PJ
Luís Miguel Grilo
Rosa e Luís eram felizes e tinham um casamento perfeito, assegura a irmã do triatleta, Júlia Grilo
Luís Miguel Grilo
Rosa Grilo, viúva do triatleta
Luís Miguel Grilo tinha 50 anos
Corpo de Luís Miguel Grilo foi encontrado, por acaso, num local ermo, no meio de vegetação. Polícia Judiciária tenta esclarecer as circunstâncias da morte
Rosa Grilo, à saída da PJ
Luís Miguel Grilo

Rosa Grilo está detida no Estabelecimento Prisional de Tires, suspeita de ter assassinado o marido, o triatleta Luís Grilo. Para passar o tempo, a alegada assassina tem-se dedicado à escrita e a dar entrevistas.

Em declarações à 'TV Mais', Rosa Grilo faz novas revelações. Conta como têm sido os dias passados na prisão, da relação com as outras reclusas, mas também das traições do marido assassinado, do filho e da família.

Encarcerada numa cela individual, Rosa diz que faz tudo para a manter limpa e o mais confortável possível. É ela quem trata da limpeza: "Passo o tempo a lavar tudo. Tento ter a cela limpa e arrumada, dentro do possível". Diz não ter qualquer problema com as outras detidas, mas há quem não lhe fale. "Há pessoas com quem se cria mais empatia e outras menos. Apenas duas ou três senhoras não me falam por me considerarem 'inferior' pelo tipo de crime", descreve em entrevista à publicação.

Rosa Grilo e Diana Fialho, presas por crimes de homicídio, conheceram-se na prisão de Tires

Rosa Grilo assume que o marido saberia da relação que mantinha com o amante, António Joaquim – detido no estabelecimento presional anexo à Polícia Judiciária, por suspeita de cumplicidade no homicídio do triatleta – e acusa Luís Grilo de, também ele, ter muitas amantes.

"Durante muitos anos fomos felizes, vivemos bastantes aventuras d viajávamos imenso. A nossa relação ficou diferente há alguns anos, depois do nascimento do nosso filho. Mas sempre fomos amigos e companheiros em tudo. Não sei se pela "crise do 50", o Luís mudou muito, talvez também eu tenha mudado. O Luís começou a ter outras mulheres e eu soube sempre, mas sempre achei que o casamento não se deita fora de um momento para o outro por causa de uma parvoíce."

Rosa Grilo, principal suspeita da morte do marido, escreve carta a Moita Flores
Rosa e Luís eram felizes e tinham um casamento perfeito, assegura a irmã do triatleta, Júlia Grilo
amante rosa grilo
Francisco Moita Flores responde à carta de Rosa Grilo, principal suspeita da morte do marido, o triatleta Luís Grilo
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, viúva do triatleta
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, à saída da PJ
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa e Luís eram felizes e tinham um casamento perfeito, assegura a irmã do triatleta, Júlia Grilo
amante rosa grilo
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, viúva do triatleta
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, à saída da PJ
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Francisco Moita Flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores
Rosa Grilo, triatleta, Luís, assassinado, crime, homicídio, suspeita, carta, prisão, francisco moita flores

O filho, Renato, de 12 anos de idade, é quem está a ser mais afetado com o crime. De um momento para o outro, o pai foi assassinado e a mãe está presa, suspeita de ter sido a autora do crime. A criança deixou de ir à escola por sugestão da psicóloga e conta ainda "com o apoio de toda a família, dos avós, dos primos e dos tios". Rosa Grilo garante que o filho está do seu lado, que sempre esteve a par de tudo e que nunca duvidou da inocência da mãe.

"Segundo a psicólogo e o pedopsiquiatra, que o acompanha, ele está muito equilibrado e a reagir 'bem' face as circunstâncias. Sei que sente muito a minha falta e a do pai. Isso é o que me consome por estar aqui. O meu filho sempre soube de tudo desde o início e, por isso, acredita na minha inocência", refere Rosa Grilo. 

  

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diáriamente todas as noticias de forma confortável

;