'

Notícia

Surpresa

Presidente Marcelo não é esquecido! Ator da TVI dá esmola a sem-abrigo e sente vergonha

Joaquim Nicolau, uma das estrelas da novela 'Amar Demais', escreve uma carta arrepiante, que vale a pena ler, a poucas horas de enterrarmos 2020 e festejarmos a chegada do novo ano
31 de dezembro de 2020 às 16:08
Joaquim Nicolau brilha em 'Amar Demais' da TVI
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau
Joaquim Nicolau

Joaquim Nicolau, de 56 anos de idade, brilha em 'Amar Demais', onde interpreta uma das principais personagens da novela da TVI, e surpreende agora com um texto na 'TV Guia' desta semana. O ator fala sobre o drama dos sem-abrigo em Portugal, apela ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e chega mesmo a revelar que, há dias, deu uma esmola a um e, no final, sentiu vergonha. Ora leia este testemunho emocionante. 

"Neste dia, 22 de dezembro, em que escrevo este texto para a 'Varanda da Esperança', faz 31 anos que Samuel Beckett, grande escritor, dramaturgo e Nobel da Literatura, morreu. Na sua icónica peça de teatro 'À Espera de Godot', ele retrata, de uma forma absurda e metafórica, a condição humana, através das suas personagens, Vladimir e Estragão. Dois "vagabundos", dois homens, que esperam e esperam e esperam por Godot. Esperam por alguém, ou de algo, para que alguma coisa aconteça. E, nesta peça, nada acontece, apenas a passagem do tempo. E, no final, quando se decidem ir embora, ficam no mesmo lugar e cai o pano.

Marcelo Rebelo de Sousa distribui comida aos sem-abrigo
Marcelo rebelo de Sousa carrega uma caixa de laranjas, sem quaisquer embaraços. O Presidente quer que todos os sem-abrigo tenham uma casa até 2023.
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Antes de partir para a viagem que o levou a Cabo Verde e ao Senegal esteve a distribuir alimentos, no centro de Lisboa, aos mais pobres.
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo
Marcelo Rebelo de Sousa, sem-abrigo

A natureza do Homem sempre me inquietou. Sentado na esplanada do café, deixo o meu olhar repousar num banco do jardim onde se sentam dois homens que me fazem lembrar Vladimir e Estragão. Também eles esperam que o tempo passe. São dois sem-abrigo, vagabundos, excluídos, marginais, pobres, alcoólicos, toxicodependentes… Quem são? Quem são estes seres estranhos, de rostos ásperos e arrasados, que convivem connosco, que atraem e desviam o nosso olhar, suscitando-nos pensamentos ecléticos? Mandriões, parasitas, falsos pedintes, drogados, bêbados, loucos? E o nosso olhar retrai-se e o nosso pensamento mergulha no nosso mais profundo interior, procurando razões. Procurando sofrimento, angústia e compaixão para esta visão, procurando desesperadamente soluções, mesmo que miraculosas, para solucionar, resolver, mitigar essa dor. Talvez mais por nós do que por eles. Queremos tentar perceber aquela tristeza, aquela solidão, queremos resgatar a dignidade humana… Ofereci uma esmola e senti vergonha.

Portugal e nós, portugueses, estamos inscritos na lista de países desenvolvidos, mas um País e uma sociedade que tem cidadãos seus, ou à sua guarda, a viverem em condições materiais, culturais, afetivas, abaixo do limiar da pobreza… Enquanto não houver uma estratégia política para tentar eliminar as carências, os maus-tratos, a fraca instrução, a falta de afetos, sobretudo nos nossos velhos e nas crianças, não nos podemos sentir um povo e um País desenvolvido.

A carregar o vídeo ...
Marcelo Rebelo de Sousa encontra e agradece a sem-abrigo que salvou bebé do caixote do lixo

O Presidente da República, o doutor Marcelo Rebelo de Sousa, a quem muito saúdo a sua tomada de posição em relação aos sem-abrigo, defende que, enquanto houver pessoas nesta situação, ninguém pode viver de consciência tranquila. O Presidente lançou um desafio e um possível objetivo: tentar erradicar o problema dos sem-abrigo até 2023. Ele próprio já fez um diagnóstico negativo e receia que a meta não seja atingida. Esperemos, pois, que, ultrapassado este sombrio 2020, possamos também trabalhar e esforçarmo-nos para encontrar vacinas para nos ajudar a vencer esta batalha.

A carregar o vídeo ...
Marcelo Rebelo de Sousa volta a dar sopa aos desfavorecidos

Que 2021 seja um ano onde muitos sonhos e desejos se possam concretizar."

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever