'

Notícia

A FLASH! já está no WhatsApp.
Siga-nos!
Seguir
Casas Reais

Quem são os médicos que estão a cargo da saúde do rei Carlos III e de Kate Middleton? Saiba tudo

Os principais membros da família real britânica têm direito a uma equipa médica de luxo.
07 de fevereiro de 2024 às 13:07
O rei Carlos III já saiu do hospital
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III
Rei Carlos III
Rei Carlos III
Rei Carlos III
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III e Camilla
Rei Carlos III
Rei Carlos III
Rei Carlos III
Rei Carlos III

São tempos complicados para a família real do Reino Unido no que à saúde diz respeito: Kate Middleton foi alvo de uma cirurgia à zona abdominal e ao rei Carlos III, após a operação à próstata, foi detetado um cancro, tendo ambos sido tratados na London Clinic, luxuoso hospital privado em Londres.

Mas, então, quem são as pessoas que têm a missão de cuidar da saúde dos principais membros da família real? Trata-se da Royal Medical Household, departamento composto por profissionais médicos que ajudam na observação do monarca e dos seu entorno. 

Estes profissionais não se dedicam somente à família real, tendo habitualmente trabalho no Sistema Nacional de Saúde e nos hospitais privados do Reino Unido. De acordo com a ‘Hello!’, têm especialistas em áreas como ginecologia e cirurgia ortopédica, mas as funções específicas não foram anunciadas desde que Carlos III subiu ao trono.

Isabel II, refira-se, revelou quem era o seu cirurgião ortopédico que interveio na sua operação ao joelho em 2003 – Roger Vickers – e inclusive nomeou cavaleiro o homem que encabeçava a Medical Household no seu reinado, o sir Huw Thomas. Já Carlos III elegeu como médico privado o dr. Michael Dixon, uma personalidade polémica por já ter defendido métodos de medicina alternativa, nomeadamente homeopatia. O palácio sentiu-se na obrigação de explicar: "O Dr. Dixon não acredita que a homeopatia possa curar o cancro. A posição dele é que terapias complementares podem coexistir com os tratamentos convencionais, desde que sejam seguros, apropriados e tenham base em provas."

Também Sarah Ferguson foi recentemente tratada depois de lhe ter sido diagnosticado um melanoma maligno. Todavia, a duquesa de York não escondeu a identidade dos profissionais que a ajudaram, o dr. Andrew Furness e Catherine Borysiewicz.

Saber mais sobre

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas