'

Notícia

Polémica

Depois de ter sido chamada de "ridícula", Catarina Furtado responde à onda de duras críticas

Não têm sido dias fáceis par a apresentadora da RTP que foi acusada de "falta de noção" e de ridicularizar movimento de apoio às mulheres iranianas. A resposta da própria fez-se esperar… mas não faltou.
11 de outubro de 2022 às 10:23
Catarina Furtado está mais ousada do que nunca. As fotos mais atrevidas da apresentadora da RTP
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Catarina Furtado
Conhecida pela sua preocupação com causas humanitárias, Catarina Furtado, a fundadora do 'Corações Com Coroa', quis participar num movimento simbólico que tem corrido mundo em solidariedade com as mulheres iranianas e em protesto contra a morte da jovem Mahsa Amini por parte das forças do regime do Irão.

A apresentadora da RTP juntou-se a várias figuras públicas nacionais e internacionais e também cortou um pedaço de cabelo, exibindo o momento em vídeo. Contudo, esta atitude não foi bem recebida por alguns dos seus seguidores nas redes sociais, que consideraram que a comunicadora ridicularizou o movimento, dado o seu corte ter sido visto como irrisório.

A carregar o vídeo ...
O vídeo polémico de Catarina Furtado que está a dar que falar
Perante a onda de ferozes críticas, Catarina Furtado acabou por eliminar vídeo em que corta uma pontinha de cabelo. Decidiu entretanto quebrar o silêncio em torno da polémica acabando por responder a quem a ofendeu, criticou e acusou. 

"Depois de ter colocado um vídeo a participar na corrente mundial de apoio às raparigas e mulheres do Irão mortas e violentadas pela polícia moral, houve quem criticasse", começou por escrever na sua conta de Instagram. "Não aceito que se desvirtue o sentido maior de uma campanha que visa não deixar esquecer um tema tão urgente, por isso o retirei. Eu posso escolher", explicou-se.

Acrescentou: "Na minha casa virtual só entra quem é verdadeiramente solidário e empático com o sofrimento. Infelizmente sei bem do que falo porque há 22 anos que trabalho estas violações dos direitos humanos, sobretudo com base no género". 

Catarina Furtado acabou por não se alongar mais nesta polémica, optando por aproveitar esta partilha para falar daquilo que lhe é realmente importante: "Todas as meninas e raparigas que, se nada fizermos, irão continuar a ser as vítimas das imensas oportunidades perdidas, dos compromissos adiados e das promessas esquecidas". 

Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever