'

Notícia

Surpresa

Governante português assume casamento homossexual

O secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, André Moz Caldas, revelou ser "o primeiro membro do Governo casado uma pessoa do mesmo sexo”.
13 de dezembro de 2020 às 12:07
André Moz Caldas torna público que é casado com outro homem
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
andré moz caldas
O secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, André Moz Caldas, de 38 anos de idade, afirmou ser "o primeiro membro do Governo casado com uma pessoa do mesmo sexo". A declaração doi dada durante uma entrevista à revista da Universidade de Lisboa. 

Contudo, o governante explica o porquê da revelação e a importância que a mesma pode ter na sociedade. "Não faço disso especial alarde público, mas também não sinto que seja apenas um aspeto da minha vida pessoal. E espero que isso possa significar, para os jovens portugueses, que não estão condenados a um ostracismo. Se houver um jovem que, pelo meu exemplo, se possa sentir mais livre para viver a sua orientação sexual abertamente, eu ficaria muito feliz."

Graça Freitas fala de intimidades com Cristina Ferreira
Graça Freitas
Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
Graça Freitas
Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
 Graça Freitas
Confrontado sobre a existência de homofobia em Portugal, André Moz Caldas relatou a sua experiência pessoal. "Nunca me senti vitimizado em razão da minha orientação sexual, mas tenho consciência de que, sendo de Lisboa e de um contexto social e familiar progressista, a minha experiência não se compara com a de outras pessoas homossexuais. Não nos podemos permitir vitimizar-nos, e devemos desarmar os nossos adversários, vivendo abertamente a sexualidade. Ninguém me pode aviltar em função da minha orientação sexual, porque não o admito. Se alguém me aviltar, não me posso sentir diminuído – sinto, pelo contrário, que o outro é diminuído."


Vai gostar de

você vai gostar de...

Mais Lidas

+ Lidas

Instagram

Instagram

Newsletter

Newsletter

Subscreva a newsletter e receba diariamente todas as noticias de forma confortável
Subscrever